Indignação e revolta tomam conta do País com execução de Marielle

Milhares de pessoas ocupam as ruas do Rio de Janeiro, de São Paulo e de várias outras cidades, em protesto contra brutal execução da vereadora Marielle Franco, do Psol, que vinha denunciando a violência policial no Rio de Janeiro; nas escadarias da Alerj, mais de 50 mil pessoas protestam por justiça a Marielle e Anderson Sousa, o motorista que a acompanhava no carro e também foi morto na noite desta quarta; o vão do MASP, em São Paulo, tem ato parecido, assim como Brasília e diversas outras capitais; houve atos também na Colômbia e na Argentina

Milhares de pessoas ocupam as ruas do Rio de Janeiro, de São Paulo e de várias outras cidades, em protesto contra brutal execução da vereadora Marielle Franco, do Psol, que vinha denunciando a violência policial no Rio de Janeiro; nas escadarias da Alerj, mais de 50 mil pessoas protestam por justiça a Marielle e Anderson Sousa, o motorista que a acompanhava no carro e também foi morto na noite desta quarta; o vão do MASP, em São Paulo, tem ato parecido, assim como Brasília e diversas outras capitais; houve atos também na Colômbia e na Argentina
Milhares de pessoas ocupam as ruas do Rio de Janeiro, de São Paulo e de várias outras cidades, em protesto contra brutal execução da vereadora Marielle Franco, do Psol, que vinha denunciando a violência policial no Rio de Janeiro; nas escadarias da Alerj, mais de 50 mil pessoas protestam por justiça a Marielle e Anderson Sousa, o motorista que a acompanhava no carro e também foi morto na noite desta quarta; o vão do MASP, em São Paulo, tem ato parecido, assim como Brasília e diversas outras capitais; houve atos também na Colômbia e na Argentina (Foto: Gisele Federicce)

Rio 247 - Milhares de pessoas ocupam as ruas do Rio de Janeiro, de São Paulo e de várias outras cidades, em protesto contra a brutal execução da vereadora Marielle Franco, do PSOL, que vinha denunciando a violência policial no Rio de Janeiro. Sentimentos de indignação e revolta tomam conta do País com o crime. Marielle atuava de forma ativa com uma agenda por direitos humanos e denunciava a violência policial no Rio.

Nas escadarias da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro), mais de 50 mil pessoas protestam por justiça a Marielle e Anderson Sousa, o motorista que a acompanhava no carro e também foi morto na noite desta quarta.

O vão do MASP, na capital paulista, tem ato parecido, em defesa da vida e pedindo por justiça, assim como Brasília e diversas outras capitais (confira aqui a agenda dos atos). Os atos aconteceram até em outros países, como a Colômbia e a Argentina, onde as Madres de Plaza de Mayo fizeram sua ronda hoje por justiça aos dois assassinatos.

A Anistia Internacional pediu investigação rápida sobre o caso, enquanto a ONU lembrou que a morte, "chocante", ocorre sob uma intervenção militar no Rio de Janeiro.

Inscreva-se na TV 247 e assista a um vídeo em que Marielle conta sua trajetória:

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247