“Infelizmente não posso decidir sozinho”, diz Marco Aurélio sobre prisão em 2ª instância

O ministro do STF Marco Aurélio Mello disse que "infelizmente" não poderá decidir de forma monocrática ao pedido do PCdoB pelo fim das prisões em segunda instância, processo do qual ele é relator e que poderá beneficiar o ex-presidente Lula; sobre a possibilidade do caso ser debatido em setembro, quando o ministro Dias Tofffoli assumir a presidência, ele foi enfático: "Aprecio muito a primavera"

“Infelizmente não posso decidir sozinho”, diz Marco Aurélio sobre prisão em 2ª instância
“Infelizmente não posso decidir sozinho”, diz Marco Aurélio sobre prisão em 2ª instância (Foto: Agência Brasil)

247 - O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello disse que "infelizmente" não poderá decidir de forma monocrática ao pedido do PCdoB para que a Suprema Corte acabe com as prisões em segunda instância, processo do qual ele é relator. Para ele o assunto já foi levado sem sucesso à presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, visando que o assunto fosse discutido em plenário, mas que o caso poderá ser debatido em setembro, quando o ministro Dias Tofffoli assumir a presidência. "Aprecio muito a primavera", afirmou ao ser indagado sobre o assunto.

Marco Aurélio disse que apesar de ser favorável à prisão somente após o trânsito em julgado, ele não poderia decidir sozinho sobre o assunto porque isso iria de encontro a um entendimento anterior do plenário da Corte. "Não posso (dar uma liminar), infelizmente não posso ante ao que foi assentado até aqui pelo colegiado maior", observou.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247