Instituto Emilio Ribas emite nota desmentindo médico defensor da cloroquina

Segundo a nota do Instituto, o médico Francisco Eduardo Cardoso Alves, defensor ferrenho do uso da cloroquina, está afastado dos quadros do Emílio Ribas há dois anos e meio

(Foto: REUTERS/George Frey)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Jornal GGN – O médico Francisco Eduardo Cardoso Alves é um defensor ferrenho do uso da Cloroquina e da Hidroxicloroquina. Recentemente, em julgamento na Justiça Federal do Piauí, em Teresina, Alves, como depoente, identificou-se como membro do corpo clínico do Instituto Emílio Ribas e atacou seus colegas que não prescrevem a cloroquina aos pacientes, dizendo que ‘lavarão as mãos no sangue das vítimas’.

Diante de sua declaração de que é do corpo clínico do Emílio Ribas, o Instituto divulgou nota oficial tornando pública sua oposição ao uso da Cloroquina e Hidroxicloroquina no tratamento da Covid-19 e desmentindo o médico.

Leia aqui a íntegra da nota do Instituto Emílio Ribas.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247