Interferências de Bolsonaro na PF geram dúvidas em investigações contra Witzel, diz ONG

A ONG Transparência Brasil, entretanto, ressaltou que "todo e qualquer indício de desvio de recursos, especialmente durante a Covid-19, deve ser investigado e os responsáveis devidamente punidos"

Jair Bolsonaro e Wilson Witzel
Jair Bolsonaro e Wilson Witzel (Foto: Alan Santos/PR | ABr)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A ONG Transparência Brasil disse que a possível interferência de Jair Bolsonaro na PF pode ter dado um caráter político às investigações contra o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel. “Os indícios de que o presidente quer utilizar a PF contra opositores e as declarações da deputada (federal) Carla Zambelli (PSL-SP), antecipando a realização da Operação Placebo, aumentam a preocupação de que a operação também possa ter como objetivo atacar o governador Wilson Witzel”.

A ONG, entretanto, ressaltou que "todo e qualquer indício de desvio de recursos, especialmente durante a Covid-19, deve ser investigado e os responsáveis devidamente punidos".

O governador foi alvo, na manhã desta terça-feira, 26, da Operação Placebo, que apreendeu celulares e computadores no Palácio Laranjeiras. Segundo ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Benedito Gonçalves havia risco de destruição de provas.

Confira a nota completa da Transparência Internacional Brasil:

Hoje testemunhamos uma das mais graves consequências das interferências do Presidente Jair Bolsonaro Polícia Federal: a dúvida que se gerou na sociedade sobre o que são investigações legítimas contra a corrupção e o que são esforços de perseguição contra inimigos políticos.

Todo e qualquer indício de desvio de recursos, especialmente durante a covid-19, deve ser investigado e os responsáveis devidamente punidos. As investigações sobre irregularidades na Secretaria de Saúde do Rio já levantaram evidências preocupantes de irregularidades.

Os indícios de que o presidente quer utilizar a PF contra opositores e as declarações da deputada Carla Zambelli, antecipando a realização da Operação Placebo, no entanto, aumentam a preocupação de que a operação também possa ter como objetivo atacar o governador Wilson Witzel.

A autonomia dos órgãos de controle da corrupção é essencial para fortalecer a confiança da população e garantir sua capacidade de atuação, independente de interferências políticas para proteger aliados ou perseguir adversários.


O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247