Irresponsável, Bolsonaro estimula mais mortes nas estradas

"Não tem local de risco. Ninguém é otário de ter uma curva na frente, uma ribanceira, o cara entrar a 80, 90, a 100 por hora. Não é otário, não faz isso aí. Não precisa ter um pardal para multar o cara lá", disse Jair Bolsonaro, em sua live nas redes sociais feita nesta quinta-feira, quando propôs também o fim dos radares móveis nas estradas; Bolsonaro disse ainda que está convencendo Sergio Moro a acabar com os radares

Irresponsável, Bolsonaro estimula mais mortes nas estradas
Irresponsável, Bolsonaro estimula mais mortes nas estradas (Foto: Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O presidente Jair Bolsonaro decidiu estimular mortes no Brasil não apenas por meio do seu 'decreto faroeste', que legaliza a posse e o porte de armas no Brasil. Ele também pretende praticamente acabar com a fiscalização de trânsito, no país que mais provoca mortes nas estradas. "Não tem local de risco. Ninguém é otário de ter uma curva na frente, uma ribanceira, o cara entrar a 80, 90, a 100 por hora. Não é otário, não faz isso aí. Não precisa ter um pardal para multar o cara lá", disse Bolsonaro, em sua live nas redes sociais feita nesta quinta-feira, quando propôs também o fim dos radares móveis nas estradas.

Bolsonaro disse ainda que está convencendo Sergio Moro a acabar com os radares. "Tô agora conversando com o Sergio Moro, que a PRF tá no comando dele, nós queremos acabar com os radares móveis também, que é uma armadilha para pegar os motoristas", disse ele. "Tomei a decisão, entrei em contato com o ministro Tarcísio (Freitas), que é da Infraestrutura. Quando conversei com ele, por coincidência, tinha oito mil e poucos novos pedidos de radar em rodovias federais do Brasil todo. Nós engavetamos aquilo lá."

A posição de Bolsonaro, evidentemente, contraria estudos técnicos, que apontam os radares como um fator que inibe a alta velocidade nas estradas e, obviamente, os acidentes fatais.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247