Jair Bolsonaro atacou STF duas vezes, como fez seu filho Eduardo

Quatro meses antes de mandar uma carta ao STF (Superior Tribunal Federal) pedindo desculpas a respeito de declarações ofensivas de seu filho Eduardo Bolsonaro contra a corte, o próprio candidato Jair Bolsonaro (PSL) disse que os ministros do tribunal estavam "legitimando a corrupção", que suas decisões têm "envergonhado a todos" e sugeriu não haver isenção e sim um "péssimo exemplo" no tribunal

Jair Bolsonaro atacou STF duas vezes, como fez seu filho Eduardo
Jair Bolsonaro atacou STF duas vezes, como fez seu filho Eduardo (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agencia Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Quatro meses antes de mandar uma carta ao STF (Superior Tribunal Federal) pedindo desculpas a respeito de declarações ofensivas de seu filho Eduardo Bolsonaro contra a corte, o próprio candidato Jair Bolsonaro (PSL) disse que os ministros do tribunal estavam "legitimando a corrupção", que suas decisões têm "envergonhado a todos" e sugeriu não haver isenção e sim um "péssimo exemplo" no tribunal.

As declarações do candidato contra os ministros do STF ocorreram em pelo menos dois momentos na pré-campanha eleitoral deste ano, em junho e julho passados, mesma época das declarações de seu filho. Em reportagem do jornal Folha de S. Paulo informa-se que o ex-militar "afirmou ainda que iria ampliar o número de ministros, de 11 para 21, como forma de 'dar um recado' ao Supremo.

O jornal relembra ainda mais uma declaração de Eduardo Bolsonaro: "quero ver alguém reclamar quando estiver num momento de ruptura mais doloroso do que colocar dez ministros a mais na Suprema Corte. Se esse momento chegar, quero ver quem vai pra rua fazer manifestação pelo STF".

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247