Janio: Gilmar deve ser impedido de julgar Temer no TSE e no STF

O colunista Janio de Freitas defende que o ministro Gilmar Mendes se declare impedido de julgar Michel Temer no Tribunal Superior Eleitoral, onde será pedida sua cassação pelo relator Herman Benjamin, e também que ele seja impedido de se tornar o novo relator da Lava Jato por sorteio; o motivo: suas longas visitas "de amigo" a Michel Temer o tornam impedido moralmente de conduzir, como faz, parte dos procedimentos no Tribunal Superior Eleitoral sobre irregularidades da chapa Dilma-Temer. Assim como o tornam moralmente impedido de eventual escolha, ou sorteio, para ser no Supremo o novo relator da Lava Jato, em cujas delações Temer aparece quase 50 vezes 

O colunista Janio de Freitas defende que o ministro Gilmar Mendes se declare impedido de julgar Michel Temer no Tribunal Superior Eleitoral, onde será pedida sua cassação pelo relator Herman Benjamin, e também que ele seja impedido de se tornar o novo relator da Lava Jato por sorteio; o motivo: suas longas visitas "de amigo" a Michel Temer o tornam impedido moralmente de conduzir, como faz, parte dos procedimentos no Tribunal Superior Eleitoral sobre irregularidades da chapa Dilma-Temer. Assim como o tornam moralmente impedido de eventual escolha, ou sorteio, para ser no Supremo o novo relator da Lava Jato, em cujas delações Temer aparece quase 50 vezes 
O colunista Janio de Freitas defende que o ministro Gilmar Mendes se declare impedido de julgar Michel Temer no Tribunal Superior Eleitoral, onde será pedida sua cassação pelo relator Herman Benjamin, e também que ele seja impedido de se tornar o novo relator da Lava Jato por sorteio; o motivo: suas longas visitas "de amigo" a Michel Temer o tornam impedido moralmente de conduzir, como faz, parte dos procedimentos no Tribunal Superior Eleitoral sobre irregularidades da chapa Dilma-Temer. Assim como o tornam moralmente impedido de eventual escolha, ou sorteio, para ser no Supremo o novo relator da Lava Jato, em cujas delações Temer aparece quase 50 vezes  (Foto: Leonardo Attuch)

247 – Até a terça-feira 31, a presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia, deve homologar as 77 delações da Odebrecht, incluindo a de Cláudio Melo Filho, que acusa Michel Temer de pedir e receber R$ 10 milhões que saíram do departamento de propinas da empreiteira, em pleno Palácio do Jaburu (leia aqui).

Ato contínuo, o ministro Hermann Benjamin, do Tribunal Superior Eleitoral, irá anexar tais delações ao processo que pede a cassação da chapa Dilma-Temer, com parecer favorável à queda de Temer (leia aqui).

Nesse contexto, o colunista Janio de Freitas defende que Gilmar se declare impedido de votar no TSE, assim como de ser o novo relator da Lava Jato, por já ter se declarado amigo de 30 anos de Temer.

Abaixo, um trecho de sua coluna:  

Caberia ao ministro Gilmar Mendes declarar-se impedido, quando for o caso. Não se espera que o faça. Mas suas longas visitas "de amigo" a Michel Temer o tornam impedido moralmente de conduzir, como faz, parte dos procedimentos no Tribunal Superior Eleitoral sobre irregularidades da chapa Dilma-Temer. Assim como o tornam moralmente impedido de eventual escolha, ou sorteio, para ser no Supremo o novo relator da Lava Jato, em cujas delações Temer aparece quase 50 vezes.


Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247