Janot: Jefferson deve ser mandado a presídio

O parecer do procurador-geral da República Rodrigo Janot foi enviado ao STF após a Vara de Execuções Penais do Rio informar ao Supremo que o sistema carcerário do Estado pode cumprir as recomendações médicas sugeridas pela junta médica do Instituto Nacional do Câncer a Jefferson; médicos concluíram que o estado de saúde de Jefferson não indica necessidade de cumprimento da pena em casa ou no hospital; Barbosa, que afirmou nesta quinta (19), que só não prendeu o ex-deputado por "absoluta falta de tempo", ouvirá Janot e determinará a prisão?

O parecer do procurador-geral da República Rodrigo Janot foi enviado ao STF após a Vara de Execuções Penais do Rio informar ao Supremo que o sistema carcerário do Estado pode cumprir as recomendações médicas sugeridas pela junta médica do Instituto Nacional do Câncer a Jefferson; médicos concluíram que o estado de saúde de Jefferson não indica necessidade de cumprimento da pena em casa ou no hospital; Barbosa, que afirmou nesta quinta (19), que só não prendeu o ex-deputado por "absoluta falta de tempo", ouvirá Janot e determinará a prisão?
O parecer do procurador-geral da República Rodrigo Janot foi enviado ao STF após a Vara de Execuções Penais do Rio informar ao Supremo que o sistema carcerário do Estado pode cumprir as recomendações médicas sugeridas pela junta médica do Instituto Nacional do Câncer a Jefferson; médicos concluíram que o estado de saúde de Jefferson não indica necessidade de cumprimento da pena em casa ou no hospital; Barbosa, que afirmou nesta quinta (19), que só não prendeu o ex-deputado por "absoluta falta de tempo", ouvirá Janot e determinará a prisão? (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

André Richter
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou hoje (19) ao Supremo Tribunal Federal (STF) parecer contra o pedido de prisão domiciliar feito pelo presidente licenciado do PTB, Roberto Jefferson. Com a manifestação do procurador, caberá ao presidente do Supremo, Joaquim Barbosa, decidir se Jefferson poderá cumprir prisão domiciliar ou deverá ser encaminhado ao presídio. O ex-deputado foi condenado a sete anos e 14 dias de prisão na Ação Penal 470, o processo do mensalão.

O parecer foi enviado ao STF após a Vara de Execuções Penais do Rio de Janeiro informar ao Supremo que o sistema carcerário do estado pode cumprir as recomendações médicas sugeridas pela junta médica do Instituto Nacional do Câncer (Inca) a Jefferson. Após perícia médica feita a pedido do ministro Joaquim Barbosa, os médicos do Inca concluíram que o estado de saúde de Jefferson não indica necessidade de cumprimento da pena em casa ou no hospital. Segundo os médicos, o ex-deputado deve usar regularmente medicamentos e seguir dieta prescrita por nutricionista.

Na semana passada, a defesa de Jefferson voltou a pedir ao Supremo que ele cumpra prisão domiciliar, por causa de problemas de saúde. Na petição enviada ao STF, os advogados anexaram a dieta que Jefferson deve seguir. A alimentação prescrita pelos médicos e nutrólogos inclui, no café da manhã, banana com canela, geleia real e pão preto. No almoço, o prato deve ser ter salada, arroz integral, carne ou salmão defumado e, no jantar, sopa de legumes.

Na manifestação enviada ao STF, a defesa de Jefferson reafirmou que ele não pode cumprir a dieta no presídio. “Parece claro, pois, que o sistema prisional não terá condições de prover todo o acompanhamento nutricional necessário para a manutenção da vida do requerente, com alimentação especial e extremamente regrada, em intervalos pequenos de tempo, e hidratação constante, tudo como se vê nas prescrições médica e dietética em anexo”, diz a defesa do ex-deputado.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247