Janot reúne provas pelo afastamento de Cunha

Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, já reúne indícios de que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), utilizou prerrogativas do cargo para atrapalhar as investigações contra ele na Lava Jato; o deputado Sílvio Costa (PSC-PE), vice-líder do governo, apresentou ontem um requerimento na Procuradoria com esse objetivo; também nesta quinta-feira, o STF (Supremo Tribunal Federal) atendeu ao pedido do PGR e autorizou o sequestro de R$ 9,6 milhões depositados em contas na Suíça atribuídas a Cunha 

Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, já reúne indícios de que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), utilizou prerrogativas do cargo para atrapalhar as investigações contra ele na Lava Jato; o deputado Sílvio Costa (PSC-PE), vice-líder do governo, apresentou ontem um requerimento na Procuradoria com esse objetivo; também nesta quinta-feira, o STF (Supremo Tribunal Federal) atendeu ao pedido do PGR e autorizou o sequestro de R$ 9,6 milhões depositados em contas na Suíça atribuídas a Cunha 
Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, já reúne indícios de que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), utilizou prerrogativas do cargo para atrapalhar as investigações contra ele na Lava Jato; o deputado Sílvio Costa (PSC-PE), vice-líder do governo, apresentou ontem um requerimento na Procuradoria com esse objetivo; também nesta quinta-feira, o STF (Supremo Tribunal Federal) atendeu ao pedido do PGR e autorizou o sequestro de R$ 9,6 milhões depositados em contas na Suíça atribuídas a Cunha  (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, já reúne provas para instruir um pedido para afastá-lo da presidência da Câmara. Nesta quinta-feira, o STF (Supremo Tribunal Federal) atendeu ao pedido do PGR e autorizou o sequestro de R$ 9,6 milhões depositados em contas na Suíça atribuídas a Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

"Tem-se como justificada a necessidade da medida requerida, pois efetivamente demonstrada a existência de indícios suficientes de que os valores eram provenientes de atividades criminosas diante da farta documentação apresentada pelo Ministério Público", disse o ministro Teori Zavascki na decisão.

Para pedir o afastamento, a Procuradoria precisa provar que Cunha utilizou prerrogativas do cargo para atrapalhar as investigações.

Ontem, o deputado Sílvio Costa (PSC-PE), vice-líder do governo, entrou com uma representação com esse objetivo alegando que o pemedebista usa o cargo para atrasar as apurações.

Leia aqui reportagem de Graciliano Rocha e Marcio Falcão sobre o assunto.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email