JBS aciona Justiça para não entregar informações sobre serviços prestados por Wassef ao MPF

A empresa pagou a Frederick Wassef R$ 9 milhões entre 2015 e 2020, segundo um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf)

Logo da JBS
Logo da JBS (Foto: REUTERS/Paulo Whitaker)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A JBS enviou pedido de habeas corpus ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região para não entregar à força-tarefa da Greenfield, do Ministério Público Federal (MPF), informações sobre serviços prestados por Frederick Wassef, ex-advogado de Jair Bolsonaro e homem que escondeu Fabrício Queiroz.

A empresa pagou a Wassef R$ 9 milhões entre 2015 e 2020, segundo um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf). Os advogados da empresa acusaram o MPF de "constrangimento ilegal" ao demandar informações "protegidas pelo sigilo profissional cliente-advogado".

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247