Jessé Souza: Lava Jato só existe porque a elite financeira quer

O sociólogo e escritor Jessé Souza explica, no programa Batalha das Ideias na TV 247, a relação dos tentáculos da elite brasileira; "Não existiria o protagonismo do Judiciário ou o risco que ele representa à democracia se não fosse o poder da imprensa, que é o braço armado da elite financeira", diz; “Para a sociedade, a operação Lava Jato se coloca como os higienizadores da nação, mas a realidade é a vontade do meio Judiciário de usurpar o poder. Isso gera exatamente o que a elite financeira busca: criminalizar a política para que ela mesma possa meter a mão no Estado, esse é o plano real” define; confira a íntegra do programa

O sociólogo e escritor Jessé Souza explica, no programa Batalha das Ideias na TV 247, a relação dos tentáculos da elite brasileira; "Não existiria o protagonismo do Judiciário ou o risco que ele representa à democracia se não fosse o poder da imprensa, que é o braço armado da elite financeira", diz; “Para a sociedade, a operação Lava Jato se coloca como os higienizadores da nação, mas a realidade é a vontade do meio Judiciário de usurpar o poder. Isso gera exatamente o que a elite financeira busca: criminalizar a política para que ela mesma possa meter a mão no Estado, esse é o plano real” define; confira a íntegra do programa
O sociólogo e escritor Jessé Souza explica, no programa Batalha das Ideias na TV 247, a relação dos tentáculos da elite brasileira; "Não existiria o protagonismo do Judiciário ou o risco que ele representa à democracia se não fosse o poder da imprensa, que é o braço armado da elite financeira", diz; “Para a sociedade, a operação Lava Jato se coloca como os higienizadores da nação, mas a realidade é a vontade do meio Judiciário de usurpar o poder. Isso gera exatamente o que a elite financeira busca: criminalizar a política para que ela mesma possa meter a mão no Estado, esse é o plano real” define; confira a íntegra do programa (Foto: Lais Gouveia)

TV 247 - No programa Batalha de Ideias da última quarta-feira (24), o sociólogo e escritor Jessé Souza abordou a relação histórica de dominação envolvendo a intitulada “nobreza de Estado”, pactuada entre a casta jurídica, o mercado financeiro e legitimada pela mídia hegemônica. “A Lava Jato só existe porque a elite financeira quer”, afirma.

Jessé Souza faz um resgate histórico ao analisar a construção dos poderes no Brasil. “A casta jurídica tem os mesmos interesses da casta do mercado financeiro, então foi arquitetada uma espécie de nobreza de Estado. Nos últimos 20, 30 anos, ocorreu uma grande expansão de concursos públicos para cargos jurídicos, entraram nessa nobreza de Estado uma classe média ampliada”, explica.

O escritor diz qual é o real objetivo da Operação Lava Jato: “para a sociedade, a operação Lava Jato se coloca como os higienizadores da nação, mas a realidade é a vontade do meio Judiciário de usurpar o poder. Isso gera exatamente o que a elite financeira busca: criminalizar a política para que ela mesma possa meter a mão no Estado, esse é o plano real”.

“Essa nobreza busca colonizar o Estado para mais punitivismo e moralismo de fachada. Isso aumenta ainda mais o seu poder”, enfatiza Jessé.

Quem manda no Brasil é a elite financeira

Jessé explica a relação corporativista envolvendo setores do Judiciário, mercado financeiro e mídia. “Não existiria o protagonismo do Judiciário ou o risco que ele representa à democracia se não fosse o poder da imprensa, que é o braço armado da elite financeira. Ou ela está representando bancos ou está na mão dos bancos. A Lava Jato como expressão desse corporativismo só existe como tal porque tem o braço da imprensa e porque o mercado financeiro quer”, afirma.

Inscreva-se na TV 247 e confira o programa Batalha de Ideias: 

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247