"Juntos podemos dizer não ao Frature-se", diz reitora da UFPB

Reitora da UFPB, Margareth Diniz, se posicinoi contra o programa Future-se, do MEC, que pretende pretende privatizar as universidades púbicas federais; "Eu digo que juntos nós somos muito mais fortes, e é nesse conjunto e nessa determinação que nós vamos, certamente, dizer não ao Frature-se", afirmou

Ascom ADUF-PB em colaboração com Brasil de Fato -  - A comunidade acadêmica da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) iniciou o processo de discussão do projeto Future-se, do governo Bolsonaro, na tarde desta segunda-feira (22/07) com uma assembleia geral no Centro de Vivência do campus I, em João Pessoa, convocada pela reitora Margareth Diniz. Houve a apresentação do programa e a gestora da UFPB já antecipou que se posicionará contra as mudanças. A assembleia foi totalmente ocupada por estudantes, professores e técnico-administrativos. Na ocasião, os servidores da reitoria apresentaram mais detalhes do Future-se através de slides. Confira o clima da Assembleia no vídeo a seguir:

"Sexta-feira (26/07) nós teremos uma reunião no Espírito Santo, dos 63 reitores das universidades federais, oportunidade em que deverá sair uma nota da Andifes, que é a associação que representa as 63 universidades federais. Dia 31, teremos reunião do Consuni, quando também deverá sair uma nota do Conselho Universitário sobre este tema, mas vamos juntos minha gente, eu digo que juntos nós somos muito mais fortes, e é nesse conjunto e nessa determinação que nós vamos, certamente, dizer não ao Frature-se", discursou a reitora Margareth Diniz. 

O presidente da Associação dos Docentes da UFPB, Cristiano Bonneau; a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Ensino Superior da Paraíba, Geralda Vítor e a deputada estadual Cida Ramos (PSB) foram algumas das pessoas a se posicionaram contra a proposta do governo Bolsonaro.

"Não podemos deixar que esse projeto privatize as universidades, eu acabei de ter acesso à UFPB, estou cursando Letras, se tiver que pagar, terei que abandonar meu sonho", disse Cintia Ferreira, estudante do primeiro período de Letras.

De acordo com a assessoria de imprensa da UFPB, a convocação de assembleias é prevista no estatuto da UFPB para tratar de temas de interesse da comunidade universitária. Esta primeira plenária estava marcada para ocorrer no Auditório do Centro de Ciências Jurídicas (CCJ), também no campus I, mas devido ao grande número de interessados, acabou sendo transferida de última hora para o Centro de Vivências.

Confira, abaixo, a agenda de debates:

24/07 – No campus II, em Areia, às 9h; e no campus III, em Bananeiras, às 15h

30/07 – No campus IV, em Rio Tinto e Mamanguape, às 15h

02/08 – No Fórum Universitário, no campus I, em João Pessoa, em horário a definir

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247