Juruna: Contribuição sindical garante entidades fortes e conquistas coletivas

O secretário-geral da Força Sindical e vice-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, Juruna, analisa em artigo a proposta de reforma trabalhista que tramita no Congresso Nacional, e diz que a matéria "levantou um complexo e polêmico debate sobre o fim da unicidade e da contribuição sindical"; Juruna avalia que só a mobilização da classe trabalhadora poderá evitar a perda de direitos; "A história nos mostra que as grandes mobilizações de trabalhadores, que deram visibilidade ao movimento sindical, lançaram novas lideranças e resultaram em importantes conquistas, foram possíveis devido à sustentação dos sindicatos e à sua estruturação"

O secretário-geral da Força Sindical e vice-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, Juruna, analisa em artigo a proposta de reforma trabalhista que tramita no Congresso Nacional, e diz que a matéria "levantou um complexo e polêmico debate sobre o fim da unicidade e da contribuição sindical"; Juruna avalia que só a mobilização da classe trabalhadora poderá evitar a perda de direitos; "A história nos mostra que as grandes mobilizações de trabalhadores, que deram visibilidade ao movimento sindical, lançaram novas lideranças e resultaram em importantes conquistas, foram possíveis devido à sustentação dos sindicatos e à sua estruturação"
O secretário-geral da Força Sindical e vice-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, Juruna, analisa em artigo a proposta de reforma trabalhista que tramita no Congresso Nacional, e diz que a matéria "levantou um complexo e polêmico debate sobre o fim da unicidade e da contribuição sindical"; Juruna avalia que só a mobilização da classe trabalhadora poderá evitar a perda de direitos; "A história nos mostra que as grandes mobilizações de trabalhadores, que deram visibilidade ao movimento sindical, lançaram novas lideranças e resultaram em importantes conquistas, foram possíveis devido à sustentação dos sindicatos e à sua estruturação" (Foto: Romulo Faro)

247 - O secretário-geral da Força Sindical e vice-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, Juruna, analisa em artigo no Poder 360 a proposta de reforma trabalhista que tramita no Congresso Nacional, e diz que a matéria "levantou um complexo e polêmico debate sobre o fim da unicidade e da contribuição sindical".

Juruna avalia que só a mobilização da classe trabalhadora poderá evitar a perda de direitos.

"A história nos mostra que as grandes mobilizações de trabalhadores, que deram visibilidade ao movimento sindical, lançaram novas lideranças e resultaram em importantes conquistas, foram possíveis devido à sustentação dos sindicatos e à sua estruturação, com entidades únicas por categoria no município, é isso que possibilita unir os trabalhadores e torna o sindicato um poderoso instrumento da classe, seja frente ao patronato ou ao poder público".

Leia a íntegra aqui.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247