Justiça nega pedidos de habeas corpus feito por defesa de irmãos Batista

Tribunal Regional Federal da 3ª região negoupedidos de habeas corpus feitos pelos defensores dos irmãos Joesley e Wesley Batista, controladores da processadora de carne JBS; irmãos são acusados de insider trading, uso de informação privilegiada para lucrar no mercado financeiro vendendo ações da JBS antes de um acordo de leniência em maio, no qual confessaram subornar políticos; Wesley foi preso na quarta-feira pela Polícia Federal e Joesley se entregou à PF junto com o ex-executivo da JBS Ricardo Saud no domingo

Tribunal Regional Federal da 3ª região negoupedidos de habeas corpus feitos pelos defensores dos irmãos Joesley e Wesley Batista, controladores da processadora de carne JBS; irmãos são acusados de insider trading, uso de informação privilegiada para lucrar no mercado financeiro vendendo ações da JBS antes de um acordo de leniência em maio, no qual confessaram subornar políticos; Wesley foi preso na quarta-feira pela Polícia Federal e Joesley se entregou à PF junto com o ex-executivo da JBS Ricardo Saud no domingo
Tribunal Regional Federal da 3ª região negoupedidos de habeas corpus feitos pelos defensores dos irmãos Joesley e Wesley Batista, controladores da processadora de carne JBS; irmãos são acusados de insider trading, uso de informação privilegiada para lucrar no mercado financeiro vendendo ações da JBS antes de um acordo de leniência em maio, no qual confessaram subornar políticos; Wesley foi preso na quarta-feira pela Polícia Federal e Joesley se entregou à PF junto com o ex-executivo da JBS Ricardo Saud no domingo (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Reuters - O Tribunal Regional Federal da 3ª região negou nesta sexta-feira pedidos de habeas corpus feitos pelos defensores dos irmãos Joesley e Wesley Batista, controladores da processadora de carne JBS.

Os pedidos tinham sido feitos na véspera. Os irmãos são acusados de insider trading, uso de informação privilegiada para lucrar no mercado financeiro. Ambos foram acusados de ganhar vendendo ações da JBS antes de um acordo de leniência em maio, no qual confessaram subornar políticos. Essa confissão derrubou as ações da empresa.

Wesley foi preso na quarta-feira pela Polícia Federal e Joesley se entregou à PF junto com o ex-executivo da JBS Ricardo Saud no domingo.

Por Alberto Alerigi Jr.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247