Justiça nega recurso e mantém interrogatório de Lula

A 10ª Vara da Justiça Federal de Brasília negou recursos da defesa do ex-presidente Lula e de seu filho Luís Cláudio, e manteve o interrogatório dos dois para dia 20 de fevereiro; a negativa se dá no processo da Operação Zelotes, no qual Lula é réu, acusado de tráfico de influência, organização criminosa e lavagem de dinheiro, junto com o filho e os lobistas Mauro Marcondes e Cristina Mautoni, que serão ouvidos no mesmo dia. A defesa de Lula afirma que ele jamais praticou ato ilícito e que é alvo de perseguição política

A 10ª Vara da Justiça Federal de Brasília negou recursos da defesa do ex-presidente Lula e de seu filho Luís Cláudio, e manteve o interrogatório dos dois para dia 20 de fevereiro; a negativa se dá no processo da Operação Zelotes, no qual Lula é réu, acusado de tráfico de influência, organização criminosa e lavagem de dinheiro, junto com o filho e os lobistas Mauro Marcondes e Cristina Mautoni, que serão ouvidos no mesmo dia. A defesa de Lula afirma que ele jamais praticou ato ilícito e que é alvo de perseguição política
A 10ª Vara da Justiça Federal de Brasília negou recursos da defesa do ex-presidente Lula e de seu filho Luís Cláudio, e manteve o interrogatório dos dois para dia 20 de fevereiro; a negativa se dá no processo da Operação Zelotes, no qual Lula é réu, acusado de tráfico de influência, organização criminosa e lavagem de dinheiro, junto com o filho e os lobistas Mauro Marcondes e Cristina Mautoni, que serão ouvidos no mesmo dia. A defesa de Lula afirma que ele jamais praticou ato ilícito e que é alvo de perseguição política (Foto: Romulo Faro)

247 - A 10ª Vara da Justiça Federal de Brasília negou recursos da defesa do ex-presidente Lula e de seu filho Luís Cláudio, e manteve o interrogatório dos dois para dia 20 de fevereiro, de acordo com publicação do G1.

A negativa se dá no processo da Operação Zelotes, no qual Lula é réu, acusado de tráfico de influência, organização criminosa e lavagem de dinheiro, junto com o filho e os lobistas Mauro Marcondes e Cristina Mautoni, que serão ouvidos no mesmo dia. A defesa de Lula afirma que ele jamais praticou ato ilícito e que é alvo de perseguição política

Para tentar adiar o interrogatório, a defesa do ex-presidente argumentou com uma decisão judicial, segundo a qual os interrogatórios não seriam marcados até que testemunhas no exterior fossem ouvidas. Mas a Justiça informou que havia decidido suspender os interrogatórios somente até que se esgotasse o prazo de intimação das testemunhas fora do país.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247