Kakay critica manifestações na pandemia: "é cruel, mas nós não podemos ser incoerentes"

"Não devemos e não podemos ir para as ruas para fazer frente e barrar os fascistas. Se nós nos equipararmos a eles, os fascistas, indo para as ruas, perderemos o discurso da necessidade de cumprir a orientação médica internacional do isolamento", explica o advogado criminalista Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay

(Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O advogado criminalista Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, em artigo, criticou as manifestações durante a pandemia de Covid-19, inclusive as antifascistas.

Segundo Kakay, ao saírem às ruas, os antifascistas perdem o discurso de cumprir as orientações médicas internacionais. "É cruel, mas nós não podemos ser incoerentes. Não devemos e não podemos ir para as ruas para fazer frente e barrar os fascistas. Eles não passarão. Se nós nos equipararmos a eles, os fascistas, indo para as ruas, perderemos o discurso da necessidade de cumprir a orientação médica internacional do isolamento".

O advogado ressaltou que "uma das nossas críticas tem sido a irresponsabilidade dos grupos fascistas de estarem ocupando as ruas em manifestações que desrespeitam toda a orientação científica e médica".

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email