Kennedy: Maia faz defesa sensata e corajosa de fundo eleitoral público

O jornalista Kennedy Alencar afirma que "foi corajosa e sensata a defesa do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-DF), sobre o fundo partidário e mudanças recentes nas regras eleitorais". "Eleições são rituais fundamentais de uma democracia. Como consequências das descobertas da Lava Jato, o STF (Supremo Tribunal Federal) proibiu o financiamento empresarial em 2015. Obviamente, dinheiro público é necessário para pagar eleições", acrescenta

(Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)

247 - O jornalista Kennedy Alencar, em sua coluna no Portal IG, afirma que "foi corajosa e sensata a defesa do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-DF), sobre o fundo partidário e mudanças recentes nas regras eleitorais".

"Ainda podem ser feitas críticas pontuais às alterações, mas a questão central é correta."

"Sem o fundo eleitoral, haveria desequilíbrio entre os candidatos, favorecendo os mais ricos que recorrem ao autofinanciamento. "


"Eleições são rituais fundamentais de uma democracia. Como consequências das descobertas da Lava Jato, o STF (Supremo Tribunal Federal) proibiu o financiamento empresarial em 2015. Obviamente, dinheiro público é necessário para pagar eleições."

"O importante é ter regras claras para o uso desses recursos. Também é fundamental estimular o financiamento eleitoral por pessoas físicas. A sociedade, se quiser, pode voltar a discutir a volta do financiamento empresarial. Não tem solução fácil."

"Mas criminalizar a política interessa a autoritários, populistas e moralistas hipócritas. Maia fez bem em contrariar essas figuras e parte da opinião pública. "

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247