Kotscho: após férias de 40 dias, Congresso só volta dia 20

O jornalista Ricardo Kotscho escreve nesta segunda-feira, 5, que depois de mais de 40 dias de férias, deputados e senadores deveriam voltar ao trabalho nesta segunda, mas que ano legislativo para deputados e senadores só começará em 20 de fevereiro, uma terça-feira, justamente o dia marcado pelo governo para a votação da reforma da Previdência; "Não será certamente durante o Carnaval que o governo conseguirá os votos que faltam, por mais que se arrombem os já exauridos cofres públicos", diz Kotscho

O jornalista Ricardo Kotscho escreve nesta segunda-feira, 5, que depois de mais de 40 dias de férias, deputados e senadores deveriam voltar ao trabalho nesta segunda, mas que ano legislativo para deputados e senadores só começará em 20 de fevereiro, uma terça-feira, justamente o dia marcado pelo governo para a votação da reforma da Previdência; "Não será certamente durante o Carnaval que o governo conseguirá os votos que faltam, por mais que se arrombem os já exauridos cofres públicos", diz Kotscho
O jornalista Ricardo Kotscho escreve nesta segunda-feira, 5, que depois de mais de 40 dias de férias, deputados e senadores deveriam voltar ao trabalho nesta segunda, mas que ano legislativo para deputados e senadores só começará em 20 de fevereiro, uma terça-feira, justamente o dia marcado pelo governo para a votação da reforma da Previdência; "Não será certamente durante o Carnaval que o governo conseguirá os votos que faltam, por mais que se arrombem os já exauridos cofres públicos", diz Kotscho (Foto: Aquiles Lins)

247 - O jornalista Ricardo Kotscho escreve nesta segunda-feira, 5, que depois de mais de 40 dias de férias, deputados e senadores deveriam voltar ao trabalho nesta segunda, mas que ano legislativo para deputados e senadores só começará em 20 de fevereiro, uma terça-feira, justamente o dia marcado pelo governo para a votação da reforma da Previdência.

"Não será certamente durante o Carnaval que o governo conseguirá os votos que faltam, por mais que se arrombem os já exauridos cofres públicos", diz Kotscho. 

Segundo ele, o aliado envergonhado Geraldo Alckmin certamente não fará a menor força para aprovar a reforma da Previdência e jogar água no moinho dos governistas. "Ou seja, ninguém está preocupado com os destinos do país, mas com o que é melhor para suas pretensões presidenciais", afirma. 

"Agora todo mundo só quer saber de Carnaval. Os problemas do país que esperem as excelências voltarem dos folguedos momescos. Ziriguidum, ziriguidum, aqui é Brasil!", diz Kotscho. 

Leia o texto na íntegra no Balaio do Kotscho

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247