Lagos, ícone da esquerda global, assina manifesto em defesa da democracia

Com a adesão de Ricardo Lagos, já são cinco ex-presidentes sul-americanos que lançam um grito ao mundo para que a democracia brasileira não seja enterrada de vez no dia 24 próximo, quando acontecerá o julgamento de Lula no TRF4; em seu blog, o ex-presidente chileno ainda destaca a perseguição a Lula; "Mais do que um julgamento, parece um ato de perseguição política. Lula foi e continua a ser uma figura fundamental para as esperanças do povo brasileiro e um líder no cenário mundial", diz Lagos

Com a adesão de Ricardo Lagos, já são cinco ex-presidentes sul-americanos que lançam um grito ao mundo para que a democracia brasileira não seja enterrada de vez no dia 24 próximo, quando acontecerá o julgamento de Lula no TRF4; em seu blog, o ex-presidente chileno ainda destaca a perseguição a Lula; "Mais do que um julgamento, parece um ato de perseguição política. Lula foi e continua a ser uma figura fundamental para as esperanças do povo brasileiro e um líder no cenário mundial", diz Lagos
Com a adesão de Ricardo Lagos, já são cinco ex-presidentes sul-americanos que lançam um grito ao mundo para que a democracia brasileira não seja enterrada de vez no dia 24 próximo, quando acontecerá o julgamento de Lula no TRF4; em seu blog, o ex-presidente chileno ainda destaca a perseguição a Lula; "Mais do que um julgamento, parece um ato de perseguição política. Lula foi e continua a ser uma figura fundamental para as esperanças do povo brasileiro e um líder no cenário mundial", diz Lagos (Foto: Romulo Faro)

247 - Ricardo Lagos, ex-presidente do Chile, e uma das lideranças mais importantes da América Latina, assinou manifesto em apoio à candidatura de Lula.

Com ele, já são cinco ex-presidentes sul-americanos que lançam um grito ao mundo para que a democracia brasileira não seja enterrada de vez no dia 24 próximo, quando acontecerá o julgamento de Lula no TRF4.

Além de Lagos, o manifesto já recebeu as assinaturas da argentina Cristina Kirchner, do uruguaio José Mujica, do equatoriano Rafael Correa e do colombiano Ernesto Samper.

Lagos fez a defesa em seu blog. Leia abaixo:

Em defesa de Lula da Silva

Um grupo de personalidades políticas, sociais e culturais da América Latina, bem como de outros países, especialmente da Europa, reagiu à tentativa de registrar o julgamento em segunda instância contra o presidente Lula da Silva para evitar que ele seja candidato presidencial.

Isso, mais do que um julgamento, parece um ato de perseguição política. Lula foi e continua a ser uma figura fundamental para as esperanças do povo brasileiro e um líder no cenário mundial.

Há milhões de homens e mulheres naquele país que não se esquecem de como suas vidas mudaram quando Lula foi presidente. Eles sabem que seu país teve progresso e progresso importante, tornando o crescimento econômico e o desenvolvimento com a justiça social, uma possível dualidade para promover como um todo. É verdade, seu antecessor, o presidente Cardoso já havia iniciado esse caminho que Lula seguiu.

Compartilho que aqui estamos diante de uma perseguição política que só será derrotada no campo da política. Mais do que uma questão tática ou eleitoral, a vitória ou a derrota nesta luta terão conseqüências estratégicas e de longo prazo.

O que está em jogo no Brasil é o futuro da democracia. Uma democracia onde os milhões que saíram da pobreza não retornam a ele, aquele em que dispositivos e manobras escuras não são usados ​​para reprimir a vontade popular, da qual essa região pode legítimamente falar com o resto do mundo para lidar com a convicção e liderança de uma sociedade mais justa no século 21.

A fratura social que está emergindo em muitas democracias requer liderança como Lula's para ser resolvido.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247