Laura Tessler atribuiu AVC de Marisa a "carne mais salgada"

Em ironia pesada, a procuradora Laura Tessler rechaçou a possibilidade de o agravamento do quadro de Dona Marisa Letícia, vítima de um AVC em 2017, ter acontecido após busca e apreensão na casa dela e dos filhos, e da condução coercitiva de Lula. "Ridículo... Uma carne mais salgada já seria suficiente para subir a pressão... ou a descoberta de um dos milhares de humilhantes pulos de cerca do Lula", afirma

(Foto: Reprodução/Globo | Ricardo Stuckert)

247 - A procurador Laura Tessler ironizou pesado a morte da Dona Marisa Letícia, que teve seu falecimento confirmado em fevereiro de 2017, após sofrer um AVC hemorrágico no mês anterior. É o que mostram as revelações do Intercept Brasil, publicadas em parceria com o Uol.

Em 4 de fevereiro de 2017, a colunista do jornal Folha de S.Paulo Mônica Bergamo divulgou uma nota sobre a agonia vivida por Marisa em seus últimos dias de vida ter sido compartilhada no grupo.

A procuradora rechaçou a possibilidade de o agravamento do quadro da ex-primeira-dama ter acontecido após busca e apreensão na casa dela e dos filhos, e da condução coercitiva do ex-presidente Lula, determinada pelo então juiz Sérgio Moro no ano anterior. 

"Ridículo... Uma carne mais salgada já seria suficiente para subir a pressão... ou a descoberta de um dos milhares de humilhantes pulos de cerca do Lula", afirma Laura. "Só falta dizer que a Lava Jato implantou 10 anos atras um aneurisma na cabeça da mulher....milhares de pessoas morrem no AVC no mundo...isso faz parte do mundo real e ponto", acrescentou.

O procurador Januário Paludo responde: "Concordo. Ahco que isso pesou mais, pois poderia vir a público. E se os advs do Lula empestatem? Como lembrá-los. A propósito, sempre tive uma pulga atrás da orelha com esse aneurisma. Não me cheirou bem. E a segunda morte em sequência".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247