Lava Jato denuncia 17 pessoas, incluindo João Santana

Procuradores que atuam na Operação Lava Jato apresentaram as acusações contra 17 denunciados nas 23ª e 26ª fases das investigações, batizadas de Acarajé e Xepa, respectivamente; dentre os denunciados estão o marqueteiro João Santana e sua mulher, Mônica Moura, o operador de propina Zwi Scornick, o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, além dos ex-diretores da Petrobras Pedro Barusco e Renato Duque; procuradores também ofereceram denúncias contra o ex-presidente da empreiteira Odebrecht Marcelo Bahia Odebrecht e outros executivos da construtora

Procuradores que atuam na Operação Lava Jato apresentaram as acusações contra 17 denunciados nas 23ª e 26ª fases das investigações, batizadas de Acarajé e Xepa, respectivamente; dentre os denunciados estão o marqueteiro João Santana e sua mulher, Mônica Moura, o operador de propina Zwi Scornick, o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, além dos ex-diretores da Petrobras Pedro Barusco e Renato Duque; procuradores também ofereceram denúncias contra o ex-presidente da empreiteira Odebrecht Marcelo Bahia Odebrecht e outros executivos da construtora
Procuradores que atuam na Operação Lava Jato apresentaram as acusações contra 17 denunciados nas 23ª e 26ª fases das investigações, batizadas de Acarajé e Xepa, respectivamente; dentre os denunciados estão o marqueteiro João Santana e sua mulher, Mônica Moura, o operador de propina Zwi Scornick, o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, além dos ex-diretores da Petrobras Pedro Barusco e Renato Duque; procuradores também ofereceram denúncias contra o ex-presidente da empreiteira Odebrecht Marcelo Bahia Odebrecht e outros executivos da construtora (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Os procuradores que atuam na Operação Lava Jato apresentaram as acusações contra 17 denunciados nas 23ª e 26ª fases das investigações, batizadas de Acarajé e Xepa, respectivamente. Dentre os denunciados estão o marqueteiro João Santana e sua mulher, Mônica Moura, o operador de propina Zwi Scornick, o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, além dos ex-diretores da Petrobras Pedro Barusco e Renato Duque.

Além deles, os procuradores também ofereceram denúncias contra o ex-presidente da empreiteira Odebrecht Marcelo Bahia Odebrecht, que está preso em Curitiba, e sua secretária Maria Lúcia Guimarães Tavares, além de outros executivos da construtora.

Estas são as primeiras acusações formais da força-tarefa que atua na Lava Jato ligadas ao que se convencionou chamar de "departamento de propinas" existente na Odebrecht.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247