Lawfare contra Lula foi antes testado nos EUA

Entrevistado pelo Majority Report, um dos principais programas de rádio nos Estados Unidos, o jornalista Brian Mier revela como a perseguição ao ex-presidente Lula foi antes testada nos Estados Unidos, numa ação semelhante contra o senador Ted Stevens, do Alasca; acusado de receber reformas num imóvel por um delator, Stevens não pôde se reeleger; depois disso, todo o processo foi anulado, quando se comprovou que era uma ação politicamente motivada

Lawfare contra Lula foi antes testado nos EUA
Lawfare contra Lula foi antes testado nos EUA

247 – Entrevistado pelo Majority Report, um dos mais populares programas de rádio nos Estados Unidos, o jornalista Brian Mier comparou o caso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com a condenação do senador Ted Stevens, que perdeu a reeleição em 2009, quando ele foi acusado pelo Departamento de Justiça de receber reformas ilegais em uma casa de férias. Depois das eleições, a sentença foi anulada por conduta imprópria dos procuradores.

Mier contou que um comunicado do governo americano que vazou pelo Wikileaks mostra que, em 2009, o Departimento da Justiça dos Estados Unidos (DOJ) começou a planejar seu trabalho em parceria com o Ministério Público brasileiro, em operações de combate da corrupção, sediados em CuritibaNaquele mesmo ano, um senador americano perdeu as eleições depois de ser injustamente acusado pelo DOJ de ter recebido reformas ilegais em uma casa de férias, através de uma delação premiada.

O caso contra Lula foi construído através de uma pessoa que eles acharam para falar sobre este apartamento que, supostamente recebeu reformas, com dinheiro de corrupção”, enfatizou Brian. “O interessante disso é que em 2009, o DOJ montou um caso contra o senador Ted Stevens no Alasca, alegando que ele tinha recebido reformas ilegais numa casa dele, financiado por uma companhia de petróleo. Como resultado, ele perdeu as eleições. Depois disso, o caso inteiro foi revertido e os procuradores do DOJ foram acusados de conduta imprópria para violações do Lei de Brady, que significa esconder provas benéficas à defesa e pela construção do caso através de delações premiados de testemunhas pouco confiáveis. O caso contra Lula é muito parecido com o caso contra Ted Stevens”, completou.

Brian, que é editor do site Brasilwire, vê grandes semelhanças entre os dois casos. “Aprendi sobre o caso de Stevens durante uma entrevista com a advogada Valeska Martins para o jornal Americano Truthdig. Depois, comecei estudar os dois casos em detalhe e os semelhanças são chocantes. Sabendo que o DOJ vem colaborando com a força tarefa Lava Jato faz anos, eu pergunto se o caso contra Lula não foi pelo menos parcialmente baseado na perseguiçã política contra Stevens. O que falta neste momento é um jurista analisar os dois casos.”

Confira, aqui, o programa Majority Report.


Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247