Léo Pinheiro presta depoimento no Supremo

O executivo da OAS, Léo Pinheiro, foi ouvido por um juiz instrutor do ministro do Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin, para verificar se o acordo de delação premiada foi firmado de livre e espontânea vontade

Léo Pinheiro 
Léo Pinheiro  (Foto: Aquiles Lins)

247 - O ex-presidente da OAS, Léo Pinheiro, foi ouvido nesta terça-feira (10) pelo Supremo Tribunal Federal sobre o acordo de delação premiada.

O depoimento é um dos requisitos para a homologação do acordo. Segundo o site O Antagonista, ele foi ouvido por um juiz instrutor de Edson Fachin para verificar se o acordo de delação premiada foi firmado de livre e espontânea vontade.

Na semana passada, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, solicitou o arquivamento preliminar de trechos da delação premiada dde Léo Pinheiro com acusações ao ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Humberto Martins, atual corregedor da corte, e ao atual presidente do Tribunal de Contas da União (TCU) José Múcio Monteiro.

Dodge pediu a Fachin para arquivar preliminarmente quatro anexos da delação de Léo Pinheiro e, depois disso, homologar a delação premiada do empreiteiro, que atinge políticos de partidos como PT, PSDB, MDB e DEM.

Foi a delação de Léo Pínheiro que serviu como único argumento para sustentar a "convicção" sem provas do processo contra o ex-presidente Lula no caso do tríplex do Guarujá. Sua versão inicial era de que o triplex seria um presente sem nenhuma contrapartida. Depois de ter sua delação negada pelos procuradores de Curitiba, ser preso e ter seus recursos negados, ele mudou a versão da delação que foi aceita depois de dizer que era contrapartida na Petrobrás e também que Lula o teria orientado a destruir provas.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247