Lewandowski, Barbosa e Mello não se entendem

Ao final do voto do relator, que pediu a condenação de João Paulo Cunha por peculato, duas vezes, lavagem de dinheiro e corrupção passiva, ministros Marco Aurélio Mello e revisor Ricardo Lewandowski voltam a discutir com Joaquim Barbosa sobre metodologia do voto; ao publicitário Marcos Valério e sócios foram imputadas corrupção ativa e peculato

Lewandowski, Barbosa e Mello não se entendem
Lewandowski, Barbosa e Mello não se entendem (Foto: Edição/247 )
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Após conclusão da primeira parte do voto do relator Joaquim Barbosa, que culpou o ex-presidente da Câmara João Paulo Cunha pelos crimes de peculato, duas vezes, lavagem de dinheiro e corrupção passiva, os ministros Marco Aurélio Mello e Ricardo Lewandowski voltaram a discutir com ele sobre a metodologia de votar "ítem por ítem" ou integralmente. "Eu fiz 38 votos diferentes, usei uma metodologia completamente diferente da do relator", disse Lewandowski. "O que não pode é o relator se transformar em revisor do revisor", interviu Mello. "O senhor não se preocupe", respondeu Barbosa. "Quando o senhor e o revisor estiverem votando, eu estarei fora do plenário em razão do meu problema médico (ele sofre de dores da coluna)".

Leia mais aqui, sobre voto do relator Joaquim Barbosa, e aqui, a respeito do início da sessão desta quinta-feira 16 do STF.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email