Lewandowski: Lava Jato foi "revolução" no Judiciário

Presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, disse que os resultados das investigações realizadas pela Operação Lava Jato são resultado da independência do Judiciário e fazem parte de uma "revolução"; "O que está ocorrendo agora, eu diria que é uma revolução, porque o Judiciário está cuidando dos escândalos. Eu não tenho dúvida de que tudo virá à tona", disse; questionado sobre a crise econômica e política, o presidente do STF afirmou que "muitos acreditam e dizemos isso no Brasil, que o Brasil é o país do futuro", afirmou

Presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, disse que os resultados das investigações realizadas pela Operação Lava Jato são resultado da independência do Judiciário e fazem parte de uma "revolução"; "O que está ocorrendo agora, eu diria que é uma revolução, porque o Judiciário está cuidando dos escândalos. Eu não tenho dúvida de que tudo virá à tona", disse; questionado sobre a crise econômica e política, o presidente do STF afirmou que "muitos acreditam e dizemos isso no Brasil, que o Brasil é o país do futuro", afirmou
Presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, disse que os resultados das investigações realizadas pela Operação Lava Jato são resultado da independência do Judiciário e fazem parte de uma "revolução"; "O que está ocorrendo agora, eu diria que é uma revolução, porque o Judiciário está cuidando dos escândalos. Eu não tenho dúvida de que tudo virá à tona", disse; questionado sobre a crise econômica e política, o presidente do STF afirmou que "muitos acreditam e dizemos isso no Brasil, que o Brasil é o país do futuro", afirmou (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, disse que os resultados das investigações realizadas pela Operação Lava Jato são resultado da independência do Judiciário e que fazem parte de uma "revolução". "O que está ocorrendo agora, eu diria que é uma revolução, porque o Judiciário está cuidando dos escândalos. Eu não tenho dúvida de que tudo virá à tona", disse Lewandowski durante um evento em Washington (EUA).

O presidente do STF elogiou, ainda, a atuação do juiz da 13ª Vara Federal de Curitiba, Sérgio Moro, que nesta segunda-feira (19) abriu uma nova ação penal contra a Odebrecht, além de ter decretado uma nova prisão preventiva contra o empresário Marcelo Odebrecht.

"Nós temos algumas sentenças muito duras. Alguns executivos no Brasil já foram condenados a passar 15, 20 anos na cadeia, é algo realmente muito novo", destacou Lewandowski enfatizou

"Ninguém está interferindo na investigação. Nem mesmo eu, como presidente do STF e do CNJ [Conselho Nacional de Justiça], posso dar um telefonema e dizer: por favor, pare a investigação", assegurou.

Questionado sobre a crise política e econômica, o presidente do STF disse que "em muitos lugares há crises econômicas e políticas, como Espanha, Reino Unido, Portugal". Apesar de dizer que os problemas atuais colocam o país  em uma "situação extrema", ele se mostrou otimista quanto ao futuro. "Muitos acreditam e dizemos isso no Brasil, que o Brasil é o país do futuro", afirmou.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247