Lewandowski: "rumos da Justiça serão corrigidos"

Declaração do ministro Ricardo Lewandowski, que assumirá a presidência do Supremo Tribunal Federal (STF) em março, dada ao blogueiro Eduardo Guimarães, colunista do 247, é uma crítica ao modo como o atual presidente da Corte, ministro Joaquim Barbosa, tem conduzido certas discussões, como o julgamento da Ação Penal 470, o mensalão; Barbosa, que caiu no samba no Rio na última segunda-feira de 2013, mesmo alegando falta de tempo para mandar prender o réu confesso Roberto Jefferson, deve antecipar sua aposentadoria do Supremo, assim que Lewandowski assumir, para dar prosseguimento a seu projeto político-eleitoral

Declaração do ministro Ricardo Lewandowski, que assumirá a presidência do Supremo Tribunal Federal (STF) em março, dada ao blogueiro Eduardo Guimarães, colunista do 247, é uma crítica ao modo como o atual presidente da Corte, ministro Joaquim Barbosa, tem conduzido certas discussões, como o julgamento da Ação Penal 470, o mensalão; Barbosa, que caiu no samba no Rio na última segunda-feira de 2013, mesmo alegando falta de tempo para mandar prender o réu confesso Roberto Jefferson, deve antecipar sua aposentadoria do Supremo, assim que Lewandowski assumir, para dar prosseguimento a seu projeto político-eleitoral
Declaração do ministro Ricardo Lewandowski, que assumirá a presidência do Supremo Tribunal Federal (STF) em março, dada ao blogueiro Eduardo Guimarães, colunista do 247, é uma crítica ao modo como o atual presidente da Corte, ministro Joaquim Barbosa, tem conduzido certas discussões, como o julgamento da Ação Penal 470, o mensalão; Barbosa, que caiu no samba no Rio na última segunda-feira de 2013, mesmo alegando falta de tempo para mandar prender o réu confesso Roberto Jefferson, deve antecipar sua aposentadoria do Supremo, assim que Lewandowski assumir, para dar prosseguimento a seu projeto político-eleitoral (Foto: Valter Lima)

247 - Prestes a assumir a presidência do Supremo Tribunal Federal (STF) em março, o ministro Ricardo Lewandowski afirmou ao blogueiro Eduardo Guimarães, em um telefonema no último dia do ano, que crê "que os rumos da Justiça brasileira serão corrigidos". Na defesa de teses no Supremo, Lewandowski é o que mais se contrapõe às decisões do atual presidente, o ministro Joaquim Barbosa. Também reclama, com frequência, da forma autoritária como Barbosa encaminha certas questões. 

Ao dizer que pretende corrigir os rumos da Justiça, Lewandowski faz uma crítica clara e objetiva ao atual presidente, que fez do julgamento da Ação Penal 470, o mensalão, seu possível trampolim para uma carreira política. O comentário serve também de crítica a forma como Barbosa encaminhou as prisões dos condenados na ação, priorizando os petistas, colocando-os em regime diverso ao que determinou as decisões (em regime fechado ao invés do semiaberto), e deixando livres réus confessos, como Roberto Jefferson, que assumiu ter administrado R$ 4 milhões para o caixa 2 do PTB.

Quando houver a mudança de comando na Suprema Corte, o atual presidente deve antecipar sua aposentadoria para não ser presidido pelo colega Lewandowski e também para dar prosseguimento a seus projetos eleitorais.

Abaixo a postagem feita pelo blogueiro Eduardo Guimarães em seu perfil no Facebook:

Companheiras e companheiros, concluo as minhas postagens no Facebook em 2013 com um relato. Como ajudava a esposa com a ceia que preparamos para filhos e netos, não ouvi o celular tocando. Quando vou vê-lo, há seis ligações não atendidas. Todas do mesmo número. Como o número era privado, não pude retornar.

Mas, agora com o aparelho no bolso, ouço e atendo a sétima ligação do mesmo número. A ligação com os votos de bom Ano Novo dessa importantíssima figura da vida nacional foi dirigida a este que escreve e à sua família, mas divido com todos vocês porque vossa leitura e divulgação de meu trabalho como blogueiro os torna partícipes dele.

Mais uma vez, o ministro Ricardo Lewandowski reafirma sua leitura diária do Blog da Cidadania, cobre-me de elogios e reafirma, igualmente, sua crença em que os rumos da Justiça brasileira serão corrigidos. Como disse a ele, cada um de nós faz o que está ao seu alcance para melhorar este país. Eu, Lewandowski e vocês somos apenas engrenagens da mesma máquina que trabalha a todo vapor pela democracia brasileira. Feliz 2014, companheiras e companheiros. A luta continua. Eduardo Guimarães e família.


Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247