Luis Felipe Miguel: A revolta de nossos vizinhos chegará a nós?

Segundo o analista político Luis Felipe Miguel, "não há outro país em que processos "estejam ocorrendo de maneira tão acelerada e tão profunda", como "as agressões aos direitos, a entrega das riquezas a grupos estrangeiros, a falência da democracia representativa, o desmonte das políticas sociais e a montante da violência do Estado"

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Luis Felipe Miguel, em seu Facebook

Vendo o que está ocorrendo na América Latina hoje, é impossível não se perguntar: e o Brasil?

As agressões aos direitos, a política de pauperização das maiorias, a entrega das riquezas a grupos estrangeiros, a falência da democracia representativa, o desmonte das políticas sociais e a montante da violência do Estado - não há outro país em que estes processos estejam ocorrendo de maneira tão acelerada e tão profunda.

No entanto, imperam a passividade, a resignação e, em círculos minoritários mas não irrelevantes, até a adesão ao projeto no poder.

Sabemos há muito tempo que é balela a ideia de que a história do Brasil é "pacífica". Mas temos que reconhecer: a desproporção entre a violência dos dominantes e a reação dos dominados é brutal.

Talvez isso se deva à competência superior das nossas classes dominantes. Ou - talvez mais provável - à nossa incompetência para fomentar a resistência.

Sei é que, enquanto a preocupação maior for montar as chapas para as eleições do ano que vem, não sairemos disso.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247