Lula: divulgação de grampos visa tumultuar ambiente político

Instituto Lula divulgou a íntegra das notas ao Jornal Nacional desse sábado, 19, em que rebate acusações feitas contra com base nas escutas telefônicas divulgadas ilegalmente, e nas declarações do senador Delcídio do Amaral à revista Veja; "A violação de conversas do ex-presidente Lula, que nada têm a ver com as investigações da Petrobras, é uma afronta ao Artigo 5o. Constituição. Lula não disse nada ilegal ou imoral. A divulgação desses grampos, fomentando intrigas e preconceitos, serve apenas para tumultuar os processos judiciais e o ambiente político", afirma o Instituto

Brazil's former president Luiz Inacio Lula da Silva gestures during his appointment as chief of staff, at Planalto palace in Brasilia, Brazil, March 17, 2016. REUTERS/Adriano Machado
Brazil's former president Luiz Inacio Lula da Silva gestures during his appointment as chief of staff, at Planalto palace in Brasilia, Brazil, March 17, 2016. REUTERS/Adriano Machado (Foto: Aquiles Lins)

247 - O Instituto Lula divulgou a íntegra das notas ao Jornal Nacional desse sábado, 19, em que rebate acusações feitas contra com base nas escutas telefônicas divulgadas ilegalmente, e nas declarações do senador Delcídio do Amaral à revista Veja. 

"A violação de conversas do ex-presidente Lula, que nada têm a ver com as investigações da Petrobras, é uma afronta ao Artigo 5o. Constituição. Lula não disse nada ilegal ou imoral. A divulgação desses grampos, fomentando intrigas e preconceitos, serve apenas para tumultuar os processos judiciais e o ambiente político", afirma o Instituto.

Sobre as declarações de Delcídio do Amaral, o Instituto Lula afirma que não vai comentar acusações "sem fundamento de pessoa que está envolvida numa barganha com a Justiça e o Ministério Público, para obter redução de pena e benefícios financeiros."

Mais uma vez, o Jornal Nacional não divulgou a íntegra das notas. 

Leia:

"NOTA DO INSTITUTO LULA 1

1) O ex-presidente Lula reafirma o compromisso de contribuir com a presidenta Dilma Rousseff, de todas as formas possíveis, para que o Brasil volte a crescer e gerar empregos, num ambiente de paz, estabilidade e confiança no futuro.

2) A violação de conversas do ex-presidente Lula, que nada têm a ver com as investigações da Petrobras, é uma afronta ao Artigo 5o. Constituição. Lula não disse nada ilegal ou imoral. A divulgação desses grampos, fomentando intrigas e preconceitos, serve apenas para tumultuar os processos judiciais e o ambiente político.

3) Em relação às ações do PSDB e do PPS no Supremo Tribunal Federal, para impedir que Lula ajude a presidenta Dilma a governar o país, o ex-presidente reafirma: 'Justiça, simplesmente justiça, é o que espero, para mim e para todos, na vigência plena do estado de direito democrático.'"

"NOTA DO INSTITUTO LULA 2

O Instituto Lula não vai comentar acusações sem fundamento de pessoa que está envolvida numa barganha com a Justiça e o Ministério Público, para obter redução de pena e benefícios financeiros.

Em respeito à opinião pública, recordamos que, no depoimento que prestou à Polícia Federal em 16 de dezembro do ano passado, o ex-presidente Lula esclareceu oficialmente que nem ele, nem os órgãos de fiscalização e controle e nem mesmo a imprensa brasileira tinham conhecimento dos desvios ocorridos na Petrobras investigados pela Operação Lava Jato.

O ex-presidente Lula não deve, não teme e não tem nada a esconder da Justiça e da sociedade brasileira."

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247