Lula é o único capaz de enfrentar a grande mídia, diz Celso Amorim à CBN

Em uma entrevista bombástica à rádio CBN, o ex-ministro das Relações Exteriores do governo Lula, Celso Amorim, declarou ao jornalista Gerson Camarotti, da Globo, que "a mídia quer ver Lula algemado" e que "a elite está achando bom" o que está acontecendo no País; ele criticou duramente a pressa do juiz Sergio Moro em mandar prender Lula mesmo havendo ainda possibilidade de embargos no TRF4; "Eu nunca vi um caso como esse, mas as brechas foram encontradas e foi determinada a prisão antes dos embargos dos embargos. A gente fica perplexo", declarou

Em uma entrevista bombástica à rádio CBN, o ex-ministro das Relações Exteriores do governo Lula, Celso Amorim, declarou ao jornalista Gerson Camarotti, da Globo, que "a mídia quer ver Lula algemado" e que "a elite está achando bom" o que está acontecendo no País; ele criticou duramente a pressa do juiz Sergio Moro em mandar prender Lula mesmo havendo ainda possibilidade de embargos no TRF4; "Eu nunca vi um caso como esse, mas as brechas foram encontradas e foi determinada a prisão antes dos embargos dos embargos. A gente fica perplexo", declarou
Em uma entrevista bombástica à rádio CBN, o ex-ministro das Relações Exteriores do governo Lula, Celso Amorim, declarou ao jornalista Gerson Camarotti, da Globo, que "a mídia quer ver Lula algemado" e que "a elite está achando bom" o que está acontecendo no País; ele criticou duramente a pressa do juiz Sergio Moro em mandar prender Lula mesmo havendo ainda possibilidade de embargos no TRF4; "Eu nunca vi um caso como esse, mas as brechas foram encontradas e foi determinada a prisão antes dos embargos dos embargos. A gente fica perplexo", declarou (Foto: Gisele Federicce)

247 - Em uma entrevista bombástica à rádio CBN na manhã desta sexta-feira 6, o ex-ministro das Relações Exteriores do governo Lula, Celso Amorim, declarou ao jornalista Gerson Camarotti, da Globo, que como disse o ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, "estamos vivendo tempos muito estranhos, em que tudo pode acontecer".

"Parece quando você está fora da gravidade, em que as leis normais não prevalecem, então é uma pergunta quase impossível de responder", afirmou, quando questionado como ficaria a situação de Lula neste momento, depois que o juiz Sergio Moro mandou prendê-lo, sem provas e antes da conclusão dos recursos na segunda instância. "Mas queremos o Lula livre, é isso que podemos dizer", reforçou.

O ex-chanceler apontou um "clima de total insegurança política" no Brasil e disse que a prisão do ex-presidente é de uma "gravidade enorme". "A imagem do Brasil está sendo manchada, devido a essa pressa que jamais se viu em nenhuma outra ação similar", destacou, lembrando que quem disse isso foi o ministro Gilmar Mendes, do STF, "que sequer tem simpatia com o PT ou com Lula.

Sobre se o ex-presidente irá se entregar até as 17h desta sexta, como determinado por Moro, Amorim disse: "Eu prefiro não dar a minha avaliação num caso como esse, porque é muito uma questão de foro íntimo". Mas afirmou que "a atitude do presidente é pacífica". 

"Eu nunca vi um caso como esse, mas as brechas foram encontradas e foi determinada a prisão antes dos embargos dos embargos. A gente fica perplexo", criticou ainda. "Eu ão tenho a menor dúvida de que se trata de uma prisão política. Primeiro foi escolhido o réu, e depois o juiz", ressaltou, acrescentando que a sentença não tem provas.

Lembrado pelos jornalistas da CBN que Eduardo Cunha também foi preso, numa tentativa de mostrar que se trata de uma operação imparcial, Amorim respondeu: "não há comparação. Não dá para se comparar Eduardo Cunha com Lula, a única pessoa que é comparável a Lula é o ex-presidente Fernando Henrique".

O ex-ministro declarou que "a mídia quer ver Lula algemado" e que "a elite está achando bom" o que está acontecendo. "Estou me sentindo muito injustiçado, e como brasileiro muito envergonhado", concluiu.

Ouça aqui.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247