Lula: "eleitor tem uma escolha: votar em Dilma"

Ex-presidente Lula afirmou nesta terça (2), em São Bernardo do Campo, no Estado de São Paulo, que o eleitor "não tem duas escolhas nem uma e meia" para fazer o país continuar avançando econômica e socialmente, sem ser "subordinado ao sistema financeiro"; ele disse ainda ter certeza que a razão vai prevalecer nesta eleição. "Eu tenho fé nesse povo, em Deus, que no dia 5 de outubro valerá a razão, o coração e reconhecimento do povo brasileiro a uma mulher que apanhou, foi torturada, foi massacrada por um setor da imprensa desse país e nem assim essa mulher se curvou", disse

Ex-presidente Lula afirmou nesta terça (2), em São Bernardo do Campo, no Estado de São Paulo, que o eleitor "não tem duas escolhas nem uma e meia" para fazer o país continuar avançando econômica e socialmente, sem ser "subordinado ao sistema financeiro"; ele disse ainda ter certeza que a razão vai prevalecer nesta eleição. "Eu tenho fé nesse povo, em Deus, que no dia 5 de outubro valerá a razão, o coração e reconhecimento do povo brasileiro a uma mulher que apanhou, foi torturada, foi massacrada por um setor da imprensa desse país e nem assim essa mulher se curvou", disse
Ex-presidente Lula afirmou nesta terça (2), em São Bernardo do Campo, no Estado de São Paulo, que o eleitor "não tem duas escolhas nem uma e meia" para fazer o país continuar avançando econômica e socialmente, sem ser "subordinado ao sistema financeiro"; ele disse ainda ter certeza que a razão vai prevalecer nesta eleição. "Eu tenho fé nesse povo, em Deus, que no dia 5 de outubro valerá a razão, o coração e reconhecimento do povo brasileiro a uma mulher que apanhou, foi torturada, foi massacrada por um setor da imprensa desse país e nem assim essa mulher se curvou", disse (Foto: Valter Lima)

247 - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta terça-feira (2), em São Bernardo do Campo, no Estado de São Paulo, que o eleitor "não tem duas escolhas nem uma e meia" para fazer o país continuar avançando econômica e socialmente, sem ser "subordinado ao sistema financeiro".

Após mais de uma hora de carreata ao lado de Dilma no centro da cidade, seu reduto político, o ex-presidente disse que o país não pode enfrentar um retrocesso. Ele não citou Marina, mas fez uma ampla defesa de Dilma como gestora. 

"Se nós quisermos o bem desse país, que esse país continue andando de cabeça erguida, que esse país continue sendo um país produtivo gerador de emprego, gerador de empresa e não subordinado ao sistema financeiro, nós não temos duas escolhas e nem uma e meia. Nós temos uma escolha que é votar na presidente Dilma", afirmou.

Ele disse ainda ter certeza que a razão vai prevalecer nesta eleição. "Eu tenho fé nesse povo, em Deus, que no dia 5 de outubro valerá a razão, o coração e reconhecimento do povo brasileiro a uma mulher que apanhou, foi torturada, foi massacrada por um setor da imprensa desse país e nem assim essa mulher se curvou", disse.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247