Lula recorre ao STJ e mostra que acordo entre Petrobrás e Lava Jato o inocenta

Defesa do ex-presidente Lula ingressou com uma petição junto ao STJ para que seja feita uma análise do acordo entre a Petrobrás e os Estados Unidos, que resultou na destinação de R$ 2,5 bilhões para a criação de um fundo gerido pelos procuradores da Lava Jato em Curitiba; advogados de Lula querem que documento seja analisado pela STJ no caso do tríplex; no acordo da Lava Jato, a estatal aparece como responsável pelos desvios na empresa; já no processo de Lula ela aparece como vítima, tendo sido inclusive assistente da acusação; "Não é possível, em torno dos mesmos fatos, a empresa ser vítima no Brasil e criminosa nos Estados Unidos", diz a defesa de Lula

Lula recorre ao STJ e mostra que acordo entre Petrobrás e Lava Jato o inocenta
Lula recorre ao STJ e mostra que acordo entre Petrobrás e Lava Jato o inocenta

247 - A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ingressou com uma petição junto ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) para que seja feita uma análise do acordo entre a Petrobrás e os Estados Unidos, que resultou na destinação de R$ 2,5 bilhões para a criação de um fundo gerido pelos procuradores da Lava Jato em Curitiba. Os advogados também pediram a revisão da condenação de Lula no caso do Tríplex do Guarujá em função do acordo apresentar a estatal como ré e não como vítima, além da notícia de que a empreiteira OAS teria pago R$ 6 milhões para ajustar o depoimento de delatores.

Por meio do Twitter, Lula destacou que "o acordo fechado entre Lava Jato, Petrobrás e Estados Unidos não aponta nenhum crime de Lula e empresa assume responsabilidade pelos desvios. u. "Defesa aponta também outro fato novo: Léo Pinheiro, preso por Moro que acusou Lula sem provas, pagou 6 milhões para executivos da OAS "ajustarem" depoimentos", diz outra postagem sobre o assunto.

Na petição, os advogados destacam que o acordo é incompatível com a sentença imposta a Lula. "No documento firmado entre os 11 procuradores da Lava, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos e a Petrobrás, esta aparece como ré e responsável pelos desvios na empresa, inclusive listando executivos envolvidos nesses desvios. Já no processo de Lula ela aparece como vítima, tendo sido inclusive assistente da acusação. Não é possível, em torno dos mesmos fatos, a empresa ser vítima no Brasil e criminosa nos Estados Unidos", ressalta texto publicado na página oficial do ex-presidente.

"Outra informação nova, presente em um processo trabalhista, revela que Léo Pinheiro, cujo depoimento sem nenhuma prova foi usado por Moro para condenar Lula, pagou 6 milhões de reais para outros delatores "ajustarem" depoimentos", diz o texto. A afirmação consta de um processo trabalhista movida por um ex-gerente que alega não ter sido beneficiado pelas doações do ex-presidente da OAS Léo Pinheiro como outros delatores.

Confira os Twitters de Lula sobre o assunto.  

Ao vivo na TV 247 Youtube 247