Lula tem mesmo poder de transferência de votos de Getúlio, diz historiador

O historiador americano Bryan McCann, professor da Universidade Georgetown, avaliou o alto poder de transferência de votos do ex-presidente Lula caso tenha sua candidatura impedida pela Justiça; "Para os historiadores, lembra a eleição de 1945, quando Getúlio Vargas teve poder de transferência de votos que acabou com o resultado da eleição do Dutra. Foi Getúlio que levou à eleição de Dutra. Lula vai ter este tipo de poder em 2018, e falta saber para quem vão acabar indo esses votos", afirmou

Lula tem mesmo poder de transferência de votos de Getúlio, diz historiador
Lula tem mesmo poder de transferência de votos de Getúlio, diz historiador

247 - O historiador americano Bryan McCann, professor da Universidade Georgetown e brasilianista, avaliou neste domingo, 26, o alto poder de transferência de votos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta eleições presidenciais, caso tenha sua candidatura impedida pela Justiça. 

"Lula tem uma importância histórica imensa para o Brasil. A questão principal agora é tentar entender como essa importância dele vai ter influência na eleição. Acho que a candidatura dele vai ser barrada, mas acredito que ele tenha grande poder de transferência de votos", disse McCann. 

Ele comparou o poder de transferência de Lula ao do ex-presidente Getúlio Vargas nas eleições de 1945, que elegeu Eurico Gaspar Dutra. "Para os historiadores, lembra a eleição de 1945, quando Getúlio Vargas teve poder de transferência de votos que acabou com o resultado da eleição do Dutra. Foi Getúlio que levou à eleição de Dutra. Lula vai ter este tipo de poder em 2018, e falta saber para quem vão acabar indo esses votos", afirmou. 

O historiador disse também que o candidato da extrema-direta, Jair Bolsonaro (PSL), representa uma ameaça à democracia brasileira. "Ele é um risco para a democracia brasileira. Como não sou cidadão brasileiro, não tenho um candidato para apoiar na eleição, mas eu votaria em qualquer um contra Bolsonaro. Ele não respeita essa democracia e fala abertamente que respeita mais o tipo de regime que o Brasil tinha durante a ditadura", afirmou. 

Leia a entrevista na íntegra na Folha de S. Paulo.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247