Machado manteve R$ 73 milhões em propinas no exterior, diz filho

Expedido Machado da Ponte Neto, filho do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, contou em delação premiada ter aberto uma conta na Suíça para receber as propinas pagas por empresas ao pai, e que teria chegado a acumular R$ 73 milhões

Expedido Machado da Ponte Neto, filho do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, contou em delação premiada ter aberto uma conta na Suíça para receber as propinas pagas por empresas ao pai, e que teria chegado a acumular R$ 73 milhões
Expedido Machado da Ponte Neto, filho do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, contou em delação premiada ter aberto uma conta na Suíça para receber as propinas pagas por empresas ao pai, e que teria chegado a acumular R$ 73 milhões (Foto: Gisele Federicce)

247 – O delator da Lava Jato Expedido Machado da Ponte Neto, um dos três filhos do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, contou em depoimento que chegou a acumular no exterior R$ 73 milhões em propinas recebidas pelo pai.

Ele revelou ter aberto uma conta na Suíça para administrar o dinheiro que era repassado a Machado por empresas. O pai dizia, segundo ele, que o montante vinha do lucro dessas empresas que mantinham contrato com a estatal e que o esquema não prejudicaria a gestão da Transpetro.

"Meu pai, Sérgio Machado, sempre defendeu que faria isso sem comprometer os processos concorrenciais ou a estrutura interna da empresa, e que o custo de tais vantagens ilícitas sairia da margem de lucro dos fornecedores e que a legitimidade dos processos concorrenciais seria sempre preservada", diz Expedito em trecho do depoimento.

Ele foi responsável por administrar esse dinheiro no exterior entre 2007 e 2013. Segundo ele, ao menos seis empresas fizeram pagamentos ilícitos nessa conta: Camargo Corrêa, Queiroz Galvão, NM Engenharia, Galvão Engenharia, Deveram International e HR Financial Services.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247