Maia repudia deputado do PSL que vandalizou exposição sobre racismo

"Em uma democracia, em um país livre, não é porque divergimos da posição da outra pessoa, que devemos agredi-la verbalmente, fisicamente, ou retirar de forma violenta uma peça de uma exposição que foi autorizada pela presidência da Câmara", condenou Rodrigo Maia.

Oito anos após ser quase varrido da cena política, DEM tenta retomada
Oito anos após ser quase varrido da cena política, DEM tenta retomada (Foto: REUTERS/Adriano Machado)

247 - O presidente da Câmara, o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), rechaçou a conduta do Coronel Tadeu (PSL-SP), que vandalizou um desenho exposto na Câmara como parte de uma mostra sobre o Mês da Consciência Negra.

"Eu não falo baseado em pressão de ninguém, mas o que aconteceu em relação ao episódio envolvendo o deputado Tadeu é muito grave. Eu disse no meu discurso, em Nova York, falei sobre democracia, sobre tolerância, sobre preconceito. E, em uma democracia, em um país livre, não é porque divergimos da posição da outra pessoa, que devemos agredi-la verbalmente, fisicamente, ou retirar de forma violenta uma peça de uma exposição que foi autorizada pela presidência da Câmara", advertiu Maia.

"Hoje aconteceu com uma exposição em relação à Consciência Negra, amanhã pode acontecer com aqueles que riram, aqui, achando que estão defendendo o Coronel Tadeu. E não estão. Então, eu peço a compreensão de todos, porque hoje não é um dia que marca de forma positiva a nossa Casa. Muito pelo contrário. Esse é um dia em que deveríamos defender a inclusão e a igualdade de oportunidades. E não agredindo um cartaz que pode, inclusive, ser injusto com parte da polícia, mas devemos ouvir com diálogo, nunca com agressão", completou.

A deputada federal Jandira Feghali (PCdoB) informou que entrará no conselho de ética contra o deputado do PSL.

Com informações do UOL.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247