Maioria dos brasileiros é contra militares no Ministério da Saúde, segundo pesquisa

Quando o general Eduardo Pazuello assumiu interinamente o Ministério da Saúde, o Brasil tinha 14,8 mil mortes confirmadas. Atualmente, o Brasil registra mais de 80 mil óbitos

(Foto: Reprodução (Rede Amazônia Roraima))
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Fórum - A maior parte da população brasileira (61%) é contra a ocupação dos militares no Ministério da Saúde. Calcula-se que atualmente 25 cargos de confiança do ministério sejam ocupados por homens oriundos das Forças Armadas. Quase todos sem nenhum tipo de especialização na área médica.

Quando o general Eduardo Pazuello assumiu interinamente o Ministério da Saúde, o Brasil tinha 218,2 mil casos e 14,8 mil mortes confirmadas por Covid-19. Nesta segunda (21/7) o Brasil tinha 2.118.646 casos confirmados e 80,1 mil mortos. Praticamente 10 vezes o número de casos e aproximadamente seis vezes o número de mortos.

A Pesquisa Fórum é realizada desde abril e está em sua quarta edição. A 4ª Pesquisa Fórum foi realizada entre os dias 14 e 17 de julho e ouviu 1000 pessoas de todas as regiões do país. A margem de erro é de 3,2 pontos porcentuais, para cima ou para baixo. O método utilizado é o de painel online e a coleta de informações respeita o percentual da população brasileira nas diferentes faixas e segmentos.

Veja a Pesquisa Fórum na íntegra.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247