Manifestante do ‘#EleNão’ tem ameaça de violência em MS

O professor de Direito da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), Tiago Botelho, recorreu à Polícia Civil em Mato Grosso do Sul por receber ameaças pelo Facebook de seguidores de Jair Bolsonaro; Botelho engaja o movimento #EleNao contra o presidenciável do PSL; "... chega o pau na cabeça dele e coloca-o para correr daí, o resto deixa com nós", intimida um internauta

Manifestante do ‘#EleNão’ tem ameaça de violência em MS
Manifestante do ‘#EleNão’ tem ameaça de violência em MS
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O professor de Direito e Relações Internacionais da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), Tiago Botelho, recorreu à Polícia Civil em Mato Grosso do Sul por receber numerosas ameaças pela Facebook, pois ela engajar o movimento contra o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL). As mobilizações que ocorreram neste sábado (29), com a hashtag '#EleNao' viralizada tanto nas redes sociais como em faixas e em cartazes nas ruas.

Um dos internautas que ataca o professor, também especialista em direitos humanos e cidadania, intimida o professor: "... chega o pau na cabeça dele e coloca-o para correr daí, o resto deixa com nós".

De acordo com o M.TopMidiaNews, As ameaças começaram contra o docente começaram quando ele fez um desafio a professores universitários, que, segundo ele, são ligados  à defesa pela democracia e direitos humanos, como Boaventura de Sousa Santos, da universidade de Coimbra (Portugal), e Gisele Ricobom, da Unila, Universidade Federal da Latino-Americana e Nilma Lima Gomes, da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais).

"É tempo de luta, não espera e barbárie", foi o recado de Botelho ao convocar os mestres do Direito.

"Foi uma iniciativa do professor preocupado com a democracia", disse ele ao justificar o manifesto.

O professor afirmou que, desde então,  ele e a família têm recebido frequentes ataques de seguidores da candidatura de Bolsonaro.

 

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247