Márcio Macêdo: se algo acontecer a Lula, será responsabilidade de Temer

O atentado terrorista a tiros contra a caravana do ex-presidente Lula nesta terça-feira, 27, no sul Paraná, foi condenada pelo ex-deputado Marcio Macedo, coordenador da caravana; segundo ele, as circunstâncias do ataque estão sendo investigadas, mas que "se algo acontecer ao ex-presidente ou a qualquer integrante da comitiva será responsabilidade de Michel Temer, do ministro de Segurança Pública, Raul Jungmann, e do governador do Paraná, Beto Richa (PSDB)"

O atentado terrorista a tiros contra a caravana do ex-presidente Lula nesta terça-feira, 27, no sul Paraná, foi condenada pelo ex-deputado Marcio Macedo, coordenador da caravana; segundo ele, as circunstâncias do ataque estão sendo investigadas, mas que "se algo acontecer ao ex-presidente ou a qualquer integrante da comitiva será responsabilidade de Michel Temer, do ministro de Segurança Pública, Raul Jungmann, e do governador do Paraná, Beto Richa (PSDB)"
O atentado terrorista a tiros contra a caravana do ex-presidente Lula nesta terça-feira, 27, no sul Paraná, foi condenada pelo ex-deputado Marcio Macedo, coordenador da caravana; segundo ele, as circunstâncias do ataque estão sendo investigadas, mas que "se algo acontecer ao ex-presidente ou a qualquer integrante da comitiva será responsabilidade de Michel Temer, do ministro de Segurança Pública, Raul Jungmann, e do governador do Paraná, Beto Richa (PSDB)" (Foto: Aquiles Lins)

247 - O atentado terrorista a tiros contra a caravana do ex-presidente Lula nesta terça-feira, 27, no sul Paraná, foi condenada pelo ex-deputado Marcio Macedo, coordenador da caravana.

Segundo ele, as circunstâncias do ataque estão sendo investigadas, mas que "se algo acontecer ao ex-presidente ou a qualquer integrante da comitiva será responsabilidade de Michel Temer, do ministro de Segurança Pública, Raul Jungmann, e do governador do Paraná, Beto Richa (PSDB)". 

A senadora Gelisi Hoffmann, presidente do PT, falou a à imprensa e criticou a falta de segurança e o suposto descaso com apelos que o partido teria feito ao governo devido a uma escalada de casos de ataques e tensão ao longo da caravana que o ex-presidente faz pela região sul.

"Nossa caravana foi vítima de uma emboscada. Um dos ônibus teve o pneu furado para diminuir a velocidade e levou 2 tiros, além de outro que passou de raspão. Não esperávamos esse grau de violência. O fato é que nós não temos proteção", afirmou a senadora na noite desta terça-feira (27).

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247