Marco Aurélio: "autoridade na rua é o guarda, não o desembargador"

"Somos autoridades no tribunal, com a capa nas costas. Na rua, somos cidadãos", disse o ministro do STF Marco Aurélio ao criticar o desembargador do TJ-SP Eduardo Siqueira, que ofendeu guardas civis municipais em Santos (SP) para não ser multado pela falta de máscara de proteção contra o coronavírus

Marco Aurélio
Marco Aurélio (Foto: Carlos Moura/SCO/STF)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio disse ter ficado "estarrecido" com a carteirada que o desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo Eduardo Siqueira tentou aplicar em dois guardas civis municipais em Santos (SP) para não ser multado pela falta de máscara de proteção contra o coronavírus. 

"A autoridade na rua é o guarda, não o desembargador", disse ao blog Josias de Souza. "Somos autoridades no tribunal, com a capa nas costas. Na rua, somos cidadãos", acrescentou. 

Em abril, o plenário do STF decidiu que estados e municípios têm poder para determinar regras sanitárias de combate à Covid-19. "O que consta da Constituição Federal é que cabe aos três níveis da federação - municipal, estadual e federal— a tomada de providências", disse Marco Aurélio. "E essas providências podem ser formalizadas mediante decreto."

O magistrado arrumou confusão ao ser multado pelos agentes por descumprir um decreto municipal sobre uso obrigatório de máscaras faciais. Ele chamou o guarda de 'analfabeto', rasgou a multa e jogou o papel no chão.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247