Marco Aurélio defende quebra de sigilo de vídeo: brasileiro 'tem direito de saber dos pecadilhos de quem os governa'

“Eu sou favorável à publicidade em um sentido maior, inclusive. O contribuinte tem direito de saber dos pecadilhos de quem os governa”, afirmou o ministro Marco Aurélio Mello

Marco Aurélio Mello e Jair Bolsonaro
Marco Aurélio Mello e Jair Bolsonaro (Foto: Nelson Jr./SCO/STF | Adriano Machado/Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), que assistiu ao vídeo da reunião ministerial de 22 de abril no Palácio do Planalto – citada pelo ex-ministro Sergio Moro como prova de que Jair Bolsonaro teria cobrado mudanças na Polícia Federal -, defendeu que o sigilo seja quebrado.

“Eu sou favorável à publicidade em um sentido maior, inclusive. O contribuinte tem direito de saber dos pecadilhos de quem os governa”, afirmou o ministro em entrevista à coluna Radar, da revista Veja.

“Mas vamos aguardar para ver o que o ministro Celso de Mello decidirá”, ponderou. Celso de Mello é o relator do inquérito aberto a partir das declrações do ex-ministro Sergio Moro que fez acusações contra Jair Bolsonaro, apontando interferência na Polícia Federal.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247