Mario Magalhães denuncia Estado de exceção reforçado com prisão de Lula

O jornalista e escritor Mário Magalhães usou o twitter para denunciar o estado de Exceção que vive o Brasil; "5 de abril de 1968: a ditadura proíbe a Frente Ampla. 5 de abril de 2018 (50 anos mais tarde): o juiz Sérgio Moro manda prender o ex- presidente Lula, depois de o STF fulminar garantia constitucional em julgamento encerrado de madrugada", declarou o jornalista. 

O jornalista e escritor Mário Magalhães usou o twitter para denunciar o estado de Exceção que vive o Brasil; "5 de abril de 1968: a ditadura proíbe a Frente Ampla. 5 de abril de 2018 (50 anos mais tarde): o juiz Sérgio Moro manda prender o ex- presidente Lula, depois de o STF fulminar garantia constitucional em julgamento encerrado de madrugada", declarou o jornalista. 
O jornalista e escritor Mário Magalhães usou o twitter para denunciar o estado de Exceção que vive o Brasil; "5 de abril de 1968: a ditadura proíbe a Frente Ampla. 5 de abril de 2018 (50 anos mais tarde): o juiz Sérgio Moro manda prender o ex- presidente Lula, depois de o STF fulminar garantia constitucional em julgamento encerrado de madrugada", declarou o jornalista.  (Foto: Lais Gouveia)

O jornalista e escritor Mário Magalhães usou o twitter para denunciar o estado de Exceção que vive o Brasil, reforçado com o decreto de prisão emitido pelo Juiz Sérgio Moro, exigindo a prisão de Luiz Inácio Lula da Silva até sexta-feira (6). 

"5 de abril de 1968: a ditadura proíbe a Frente Ampla. 5 de abril de 2018 (50 anos mais tarde): o juiz Sérgio Moro manda prender o ex- presidente Lula, depois de o STF fulminar garantia constitucional em julgamento encerrado de madrugada", declarou o jornalista. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247