MEC encerra negociações com docentes de universidades

Mensagem com reajustes de 25% a 40% será enviada ao Congresso para figurar na Lei de Diretrizes Orçametárias

MEC encerra negociações com docentes de universidades
MEC encerra negociações com docentes de universidades (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil )
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Ministério da Educação reafirmou agora pouco, através de circular enviada aos reitores das universidades e institutos federais, que as negociações com os docentes está encerrada. E que não há qualquer possibilidade de reabertura.

Até o final de agosto, o Ministério do Planejamento vai enviar ao Congresso Nacional na LDO a proposta de carreira dos professores das universidades e institutos federais, que assegura reajustes de 25 a 40%, assegurando ganhos reais expressivos superiores aos portadores de maior titulação e com dedicação exclusiva, o que representa um impacto de R$ 4,2 bilhões.

O acordo assinado com o Proifes, que não poderá ser emendado ou alterado no Congresso Nacional, possui cláusulas que permitem a adesão de outras entidades sindicais.

Neste momento, o Governo Federal negocia o reajuste salarial com os representantes dos servidores técnicos-administrativos das universidades e dos institutos, Sinasefe e Fasubra. No último dia 6 foi apresentada uma proposta de 15,8%. Nova rodada está prevista para amanhã, dia 10.

Em circular anterior, enviada pelo Ministério da Educação a todos os reitores dos institutos e das universidades federais, o Governo Federal solicitou que seja enviado o plano de reposição das aulas perdidas durante a greve. O MEC vai supervisionar diretamente sua aplicação e pelas contas dos técnicos os professores terão que trabalhar durante os meses de dezembro, janeiro e parte de fevereiro.

Neste sentido, a expectativa do Ministério da Educação é de que as universidades e os institutos retomem imediatamente as atividades acadêmicas.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email