Medicado e sob tratamento, Adélio diz ter "desistido" de tentar matar Bolsonaro

De acordo com um funcionário da Penitenciária Federal de Campo Grande, Adélio Bispo, que esfaqueou Jair Bolsonaro durante a campanha presidencial de 2018, teria apresentado uma redução das alucinações e desistido da tentativa de assassinato

Adélio Bispo
Adélio Bispo (Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Adélio Bispo de Oliveira, que esfaqueou Jair Bolsonaro durante a campanha presidencial de 2018, “está calmo” e teria desistido de matar o ex-capitão e o ex-presidente Michel Temer, segundo reportagem de Amaury Ribeiro Jr., no UOL.  

De acordo com um funcionário da Penitenciária Federal de Campo Grande, Adélio teria apresentado uma redução das alucinações e apresentado “uma mudança positiva de comportamento”. Ele também estria lendo livros de direito, visando um curso de graduação na área jurídica. 

A mudança sobre os planos de matar Bolsonaro e Temer teria sido revelada por Adélio em um depoimento à Polícia Federal Rodrigo Morais, no dia 31 de outubro do ano passado, quando já havia sido medicado. . 2019, quando já estava sendo medicado. 

De acordo com o instrutor de pilotos do PCC Felipe Ramos Morais, o plano de Adélio para matar Bolsonaro e Temer começou a ser alimentado após ele ser aplaudido por lideranças da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) pouco após ingressar no presídio. Felipe, porém, negou que o PCC tenha tido qualquer participação no atentado registrado durante um ato de campanha em Minas Gerais. 

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247