Mello diz estar perplexo com uso da Justiça Eleitoral para lavar dinheiro

Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello disse ter ficado perplexo com a possibilidade da Justiça Eleitoral ter sido utilizada como lavanderia em esquemas de doações irregulares para campanhas eleitorais; "Estou perplexo com os indícios de corrupção e de transformação da Justiça Eleitoral em lavanderia. Agora temos que apreciar caso a caso", afirmou; na semana passada, a Segunda Turma do STF, da qual o ministro faz parte, acatou denúncia contra o senador Valdir Raupp (PMDB-RO) e o tornou réu em um inquérito onde ele é suspeito de ter recebido recursos desviados de contratos da Petrobras em sua campanha eleitoral para o Senado em 2010

Marco Aurélio Mello
Marco Aurélio Mello (Foto: Paulo Emílio)

247 - O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello disse ter ficado perplexo com a possibilidade da Justiça Eleitoral ter sido utilizada como lavanderia em esquemas de doações irregulares para campanhas eleitorais. "Estou perplexo com os indícios de corrupção e de transformação da Justiça Eleitoral em lavanderia. Agora temos que apreciar caso a caso", afirmou.

Na semana passada, a Segunda Turma do STF, da qual o ministro faz parte, acatou denúncia contra o senador Valdir Raupp (PMDB-RO) e o tornou réu em um inquérito onde ele é suspeito de ter recebido recursos desviados de contratos da Petrobras em sua campanha eleitoral para o Senado em 2010.

Segundo Mello, o julgamento "foi importantíssimo, um divisor de águas. Um julgamento muito embora embrionário quanto ao processo-crime, mas um julgamento que realmente implicou avanço", disse. O ministro também ressaltou que apesar de serem delitos diferentes, corrupção e caixa 2 são crimes. "Caixa dois, se não houver prestação de contas, é crime", afirmou Marco Aurélio.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247