Mello Franco: Bolsonaro antecipa o jogo de 2022

“Era de se esperar, pelo discurso de posse, que Jair Bolsonaro mantivesse o tom de campanha ao se instalar no Planalto. Mas não estava no script que ele anteciparia tanto a próxima disputa, como se o país já estivesse sintonizado em 2022”, diz o jornalista Bernardo Mello Franco

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - “Era de se esperar, pelo discurso de posse, que Jair Bolsonaro mantivesse o tom de campanha ao se instalar no Planalto. Mas não estava no script que ele anteciparia tanto a próxima disputa, como se o país já estivesse sintonizado em 2022”, diz o jornalista Bernardo Mello Franco.

“O presidente levou pouco mais de três meses para rasgar a promessa de não concorrer a outro mandato” e “desde então, a autopromoção eleitoral se tornou mais frequente e mais explícita”, observa Mello Franco. “Nas últimas semanas, Bolsonaro abriu uma nova etapa da campanha antecipada. Passou a alvejar diretamente possíveis adversários no campo antipetista. Entraram na mira o governador paulista João Doria e o apresentador Luciano Huck, que voltou a desfilar como presidenciável”, afirma. 

“Ao antecipar a campanha, o presidente tenta conter a fuga de eleitores desiludidos. Ao mesmo tempo, joga luz sobre os concorrentes e periga criar novos atritos no Congresso. Muita coisa deve acontecer até 2022, mas Bolsonaro já deixou claro que teremos mais três anos de tiroteio eleitoral”, avalia.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247