Mensalão é a esperança de Merval por Serra

Fernando Haddad larga na frente nas simulações de segundo turno contra José Serra em São Paulo, mas a guerra será acirrada e a estratégia foi antecipada pelo colunista Merval Pereira, da Globo, que falou da conexão entre a possível condenação de José Dirceu na próxima terça-feira e o resultado final da disputa na maior metrópole do País 

www.brasil247.com - Mensalão é a esperança de Merval por Serra
Mensalão é a esperança de Merval por Serra (Foto: Edição/247)


247 – Com a definição do segundo turno em São Paulo entre José Serra, do PSDB, e Fernando Haddad, do PT, uma coisa é certa: nada será capaz de deter o engajamento de grandes veículos de comunicação e de seus colunistas para tentar vincular o julgamento da Ação Penal 470 ao resultado da disputa na maior metrópole do País. A estratégia foi antecipada pelo colunista Merval Pereira, da Globonews, há poucos instantes. “Um ponto determinante em São Paulo pode ser o julgamento do mensalão e na próxima terça-feira deve acontecer a provável condenação de José Dirceu e José Genoino, duas lideranças importantes do PT”, disse ele.

Até agora, no entanto, o resultado das eleições municipais para o PT foi extremamente positivo, apesar do massacre midiático ao qual o partido foi submetido. Fernando Haddad larga na frente em São Paulo (tem 45% contra 39% de José Serra nas simulações de segundo turno do Datafolha), assim como Nelson Pelegrino, em Salvador, Luciano Cartaxo, em João Pessoa, e Elmano de Freitas, em Fortaleza. O partido também elegeu Paulo Garcia, no primeiro turno, em Goiânia, e conquistou cidades médias importantes, como Uberlândia (MG), com Gilmar Machado, e Maringá (PR), com Enio Verri.

Nada, no entanto, é tão relevante quanto a disputa em  São Paulo, onde a conquista da prefeitura, pelo PT, enfraqueceria brutalmente a máquina política alternativa que existe no País, comandada pelo PSDB. Uma máquina poderosa, rica e com influência clara nos grandes meios de comunicação. Na transmissão ao vivo pela Globonews,  era nítida a má vontade da equipe comandada por Merval em relação ao PT. O desejo de enfatizar derrotas do partido, como as de Recife e Belo Horizonte, gerou gafes desnecessárias, como a análise sobre Curitiba. Durante boa parte da transmissão, os jornalistas da Globonews falaram sobre a derrota de Gleisi Hoffmann e Paulo Bernardo, casal paranaense que apoiou Gustavo Fruet, sem se dar conte de que o pedetista passava para o segundo turno.

Em relação a Haddad, a Globonews só recoheceu o segundo turno às 20h11 quando o cenário já era claro desde a boca de urna, às 17h. Ao introduzir o mensalão, Merval foi até interrompido por Renata Lo Preto, que o lembrou de um detalhe importante: o efeito do julgamento na urna não foi exatamente aquele previsto pelos colunistas de corte mais conservador.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email