Mercado espera contração de mais de 8% da indústria este ano

Relatório da Focus, com resumo das expectativas de mercado a respeito de alguns indicadores econômicos no Brasil, foi divulgada pelo banco central na manhã desta segunda-feira

(Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Reuters - O mercado passou a ver uma contração de mais 8% na produção industrial este ano, em uma pesquisa Focus divulgada pelo banco central nesta segunda-feira com poucos ajustes nas perspectivas econômicas.

O levantamento semanal apontou ligeira melhora na projeção para a contração da economia brasileira em 2020, prevendo queda de 6,50% do Produto Interno Bruto (PIB), de recuo de 6,54% antes.

Isso se deu apesar de os economistas consultados terem passado a ver uma queda de 8,10% na produção industrial em 2020, de recuo de 6,00% na semana anterior.

Para 2021, a expectativa continua sendo de crescimento de 3,50% do PIB, com a indústria registrando avanço de 4,0%.

Para a inflação, não houve alterações, com a alta do IPCA sendo estimado em 1,63% e em 3,0%, respectivamente em 2020 e 2021.

O centro da meta oficial de 2020 é de 4 por cento e, de 2021, de 3,75 por cento, ambos com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou menos.

A pesquisa semanal com uma centena de economistas mostrou ainda que permanece a expectativa de que a taxa básica de juros Selic termine este ano a 2,0% e o próximo a 3,0%.

O Top-5, grupo dos que mais acertam as previsões, também continua vendo a Selic a 2,0% em 2020 e manteve a projeção de 2,25% em 2021.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email