Mercado financeiro e Congresso reagem com frieza a ameaça de Guedes

A ameaça do ministro da economia, Paulo Guedes de que abandonaria o barco do governo se a reforma da Previdência não for aprovada ou virar uma "reforminha" não causou efeito e acabou revelando a insignificância do ministro

Mercado financeiro e Congresso reagem com frieza a ameaça de Guedes
Mercado financeiro e Congresso reagem com frieza a ameaça de Guedes (Foto: Fotos: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A ameaça do ministro da economia, Paulo Guedes de que abandonaria o barco do governo se a reforma da Previdência não for aprovada ou virar uma "reforminha" não causou efeito e acabou revelando a insignificância do ministro.

Agentes do mercado financeiro e deputados reagiram friamente indicando que "ninguém é insubstituível". A coluna Painel do jornal Folha de S.Paulo aponta na edição deste sábado que "operadores dizem estar mais preocupados com a entrega efetiva do que com o nome que levará a proposta adiante".

Nos círculos políticos, a mensagem de Guedes soou como uma manifestação de vaidade e uma espécie de recado ao próprio governo.

Partidários da reforma da Previdência no Congresso acham que Guedes errou na forma do recado. "O presidente da comissão que analisa a reforma, Marcelo Ramos (PR-AM), resumiu a impressão do Congresso: 'No Brasil, as pessoas têm mania de se colocarem acima das instituições' ”, destaca a coluna.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247