Militante é morto em Guarulhos. Cumprida a profecia de Verissimo?

Foi assassinado, nesta tarde, em Guarulhos (SP) o advogado Leandro Balcone, que vinha participando dos movimentos de rua a favor do impeachment; ele levou tiros e uma facada, mas ainda não foram divulgados suspeitos; tanto o Movimento Brasil Livre como o Partido dos Trabalhadores divulgaram notas de pesar; "Balcone era um companheiro de lutas nessa cidade, e é uma grande perda nessa caminhada", disse o MBL; "O PT de Guarulhos espera das autoridades policiais ação rápida no sentido de elucidar os fatos e punir com rigor os autores", apontou o PT; neste fim de semana, o escritor Luis Fernando Verissimo previu que o ambiente de ódio instalado no País logo produziria seu primeiro cadáver, mas ainda não se sabe se o crime teve alguma motivação política

Foi assassinado, nesta tarde, em Guarulhos (SP) o advogado Leandro Balcone, que vinha participando dos movimentos de rua a favor do impeachment; ele levou tiros e uma facada, mas ainda não foram divulgados suspeitos; tanto o Movimento Brasil Livre como o Partido dos Trabalhadores divulgaram notas de pesar; "Balcone era um companheiro de lutas nessa cidade, e é uma grande perda nessa caminhada", disse o MBL; "O PT de Guarulhos espera das autoridades policiais ação rápida no sentido de elucidar os fatos e punir com rigor os autores", apontou o PT; neste fim de semana, o escritor Luis Fernando Verissimo previu que o ambiente de ódio instalado no País logo produziria seu primeiro cadáver, mas ainda não se sabe se o crime teve alguma motivação política
Foi assassinado, nesta tarde, em Guarulhos (SP) o advogado Leandro Balcone, que vinha participando dos movimentos de rua a favor do impeachment; ele levou tiros e uma facada, mas ainda não foram divulgados suspeitos; tanto o Movimento Brasil Livre como o Partido dos Trabalhadores divulgaram notas de pesar; "Balcone era um companheiro de lutas nessa cidade, e é uma grande perda nessa caminhada", disse o MBL; "O PT de Guarulhos espera das autoridades policiais ação rápida no sentido de elucidar os fatos e punir com rigor os autores", apontou o PT; neste fim de semana, o escritor Luis Fernando Verissimo previu que o ambiente de ódio instalado no País logo produziria seu primeiro cadáver, mas ainda não se sabe se o crime teve alguma motivação política (Foto: Leonardo Attuch)

247 – O ambiente de ódio instalado no Brasil pode ter produzido seu primeiro cadáver, como previu, neste domingo, o escritor Luis Fernando Verissimo.

Foi assassinado, nesta tarde, em Guarulhos (SP) o advogado Leandro Balcone, que vinha participando dos movimentos de rua a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Ele levou tiros e uma facada, mas os suspeitos ainda não foram identificados pela política.

Depois da morte, tanto o Movimento Brasil Livre como o Partido dos Trabalhadores se manifestaram.

“É com imensa tristeza que recebemos a notícia do falecimento de Leandro Balcone. Balcone era um companheiro de lutas nessa cidade, e é uma grande perda nessa caminhada. Que a família e os amigos recebam o conforto e a paz necessária nesses momentos”, diz a nota do MBL Guarulhos.

“O PT de Guarulhos lamenta a morte trágica e violenta do advogado criminalista Leandro Balcone. O Partido dos Trabalhadores tem como premissa a transformação da sociedade pela disputa no campo das ideias; respeita e convive com os pensamentos divergentes. Repudiamos todo e qualquer ato de violência que atente contra a integridade física e psicológica do ser humano. O PT de Guarulhos espera das autoridades policiais ação rápida no sentido de elucidar os fatos e punir com rigor os autores. Prestamos nossos sentimentos à família e a comunidade política", informa a nota do PT.

Leia, abaixo, reportagem anterior do 247 sobre a previsão de Luis Fernando Verissimo:

VERISSIMO PREVÊ CADÁVER E DIZ QUE MORO PODE TUDO 

"Do jeito que vão as coisas e as pessoas, entramos num período de expectativa técnica: quem será o primeiro cadáver dessa guerra? Não se sabe seu gênero, sua idade, sua raça ou o que o matará – mas ele toma forma, e vem vindo. Depois, os dois lados se culparão mutuamente pela sua morte, e todos lamentarão a tragédia – o que para ele não fará a menor diferença", avisa o escritor Luis Fernando Verissimo, um dos maiores intelectuais brasileiros, sobre o clima de pré-guerra civil instalado no País; em sua crônica, ele também critica o que considera abusos do Paraná; "as leis brasileiras foram simplificadas a uma só diretriz: o Moro pode tudo" 

20 DE MARÇO DE 2016 ÀS 05:45


Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247