‘Minha ida para o Ministério da Justiça poderia criar dissabores para o governo’, diz Mariz

O advogado criminalista Antônio Claudio Mariz de Oliveira disse descartar assumir o ministério da Justiça e se declarou "aliviado" com a decisão que tomou em meio a rumores de que poderia ser indicado por Michel Temer para o lugar de Alexandre de Moraes; "Minha ida para o Ministério poderia importar em alguns dissabores para o governo neste momento em face do meu posicionamento em relação à Lava Jato", declarou, acrescentando condenar "excessos" da investigação

O advogado Mariz de Oliveira
O advogado Mariz de Oliveira (Foto: Gisele Federicce)

247 - O advogado criminalista Antônio Claudio Mariz de Oliveira disse descartar assumir o ministério da Justiça e se declarou "aliviado" com a decisão que tomou em meio a rumores de que poderia ser indicado por Michel Temer para o lugar de Alexandre de Moraes.

"Minha ida para o Ministério poderia importar em alguns dissabores para o governo neste momento em face do meu posicionamento em relação à Lava Jato", declarou em entrevista ao Estado de S.Paulo, acrescentando condenar "excessos" da investigação conduzida pelo juiz Sérgio Moro.

Além disso, haveria um problema em ir para o comando da pasta sendo hoje advogado de alvos da Lava Jato. "De fato há um outro problema. As consequências da minha ida, para mim, pessoalmente. Eu tenho um escritório de advocacia criminal e tenho clientes que estão respondendo a processos direta ou indiretamente relacionados à Lava Jato. No momento em que eu assumisse este posto, este cargo, eu obviamente teria que me afastar de todos os casos", explica.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247