Ministério da Educação de Bolsonaro está à deriva

O Ministério da Educação, mergulhado em crise interna pela incompetência de seu ministro e as brigas entre facções da direita, encontra-se à deriva. Na terça-feira, o ministro Ricardo Vélez Rodríguez reviu decisão anunciada no dia anterior pela pasta – sem que ele soubesse –, de não avaliar crianças em fase de alfabetização no País. Segundo especialistas em gestão, episódio expõe a falta de articulação

Ministério da Educação de Bolsonaro está à deriva
Ministério da Educação de Bolsonaro está à deriva (Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Ministério da Educação, mergulhado em crise interna pela incompetência de seu ministro e as brigas entre facções da direita, encontra-se à deriva. Na terça-feira, o ministro Ricardo Vélez Rodríguez reviu decisão anunciada no dia anterior pela pasta – sem que ele soubesse –, de não avaliar crianças em fase de alfabetização no País. Segundo especialistas em gestão, episódio expõe a falta de articulação.

Já foram feitas 15 demissões, em meio a medidas polêmicas e recuos. Nesta terça, o ministro Ricardo Vélez Rodríguez reviu decisão anunciada no dia anterior pela pasta - sem que ele soubesse -, de não avaliar crianças em fase de alfabetização no País. Está escancarada uma crise no Ministério, que sofre de amadorismo.

O general Francisco Mamede de Brito Filho poderá ser o novo presidente do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais (Inep), que responde pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Brito Filho foi chefe do Estado-Maior do Comando Militar do Nordeste e não tem experiência na área educacional.

Reportagem do jornal O Estado de São Paulo destaca que o ministro Vélez "tem tido até dificuldade de encontrar quadros para repor os espaços vagos. Nesta terça, o ex-aluno do ministro Alexandro Ferreira de Souza passou a acumular duas secretarias".

"Nas últimas semanas, Vélez chegou a anunciar dois nomes de secretários executivos e foi desautorizado pelo Palácio do Planalto", aponta o jornal.

Leia a íntegra

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247